Histórico

Mais votados

Cadastre-se

Preencha os campos abaixo para receber o Boletim do Empreendedor gratuitamente:


2 técnicas para motivar sua equipe

Edição: 02/2014

Auxiliar a equipe a formar metas, entendidas como o estado ou resultado desejado, é essencial para a empresa. Essa etapa é parte do trabalho medular do empreendedor sustentável.

As metas promovem a mobilização de recursos, tanto conscientes como inconscientes. Às vezes, a equipe chega ao final de um projeto sem ter claro o que quer conseguir, o que equivale a visitar uma agência de viagens sem ter um destino.



Se nossa equipe não sabe para onde quer ir, ainda que tenha muito claro o que não quer fazer ou o que não quer que aconteça, estabelecer metas pode ser tão difícil como para o agente de viagens vender um destino.

Para isso, usamos a técnica de desatar nós. O método é baseado em elevar a consciência, gerar responsabilidade e motivar a ação. Em cinco passos, saiba estabelecer metas. Comece definindo o objetivo, conheça a situação atual do cliente, do projeto ou da empresa.

Identifique recursos, antecipe e elimine obstáculos e, por fim, vá para a ação.

A segunda técnica é chamada G.R.O.W. (Goal, Reality, Options, What), e foi definida por Sir John Whitmore e descrita no seu livro Coaching para performance.

É um dos modelos mais utilizados nesta área. Muito útil para líderes que estão começando seu trabalho na motivação de equipes. Em grupos de no máximo 6 pessoas, cada um pergunta e anota a resposta do outro, até todos terem respondido. As respostas sem nome serão colocadas juntas para que dali saiam as soluções para ações. Muito importante que o projeto, o cliente ou a empresa sejam o foco das perguntas.

Pergunte o que se pretende atingir, como isso pode ser conseguido, qual a situação atual, como cada um enxerga este momento, quais são as opções de solução, qual a mais indicada.

O ideal é que o primeiro passo seja clarear a missão de vida/empresarial do líder. Nossa missão determina nossa existência e, consequentemente, inúmeros outros parâmetros que determinam nossa conduta e caminho para decisões e planos. Assim a equipe poderá se motivar a seguir com um plano e comum.

Flávia Lippi é mentora e diretora-presidente do Instituto de Desenvolvimento Humano Lippi (IDHL)

Fonte
Revista Exame

 

Deixe seu comentário:









Digite este número...

O que você achou desta matéria?

Vote e ajude-nos a melhorar.



Os seu e-mail e o seu CPF não serão exibidos nos comentários. Eles serão guardados em nossa base para podermos atender você, cada vez melhor!

Boletins especiais