Histórico

Mais votados

Cadastre-se

Preencha os campos abaixo para receber o Boletim do Empreendedor gratuitamente:


Qual o seu RISCO de Crédito?

Edição: 06/2014

O questionamento que faço é: Qual a sua classificação de risco no sistema financeiro? Você sabia que essa regra vale tanto para pessoa física como para pessoa jurídica?

O SCR – Sistema de Informações de Crédito do Banco Central foi implantada em 1999 visando o aumento da capacidade de monitoramento dos riscos de crédito dentro das instituições financeiras, a prevenção de crises e a melhoria da qualidade das informações de todo o sistema financeiro. Essa grande base de dados é alimentada mensalmente por todas as instituições integrantes do Sistema Financeiro Nacional.



Mas durante o processo de construção da Central de Risco, observou-se que o SCR poderia ser uma excelente ferramenta para a análise e pesquisa do mercado de crédito, tudo isso por conta do fornecimento de informações precisas e de qualidade pelas Instituições Financeiras.

A base da Central de Risco do Banco Central difere-se das demais por amparar-se no uso de informações de todas as operações de crédito realizadas no País, e dessa forma constitui uma grande massa de dados com informações negativas dos devedores, mas principalmente, positivas das pessoas físicas e jurídicas que honram seus compromissos em dia.

Esse sistema revela uma atuação classificatória do risco de crédito para todos os devedores, engloba não somente os financiamentos, mas também avais, fianças, coobrigações e perfil de endividamento, consolidando as posições de risco de crédito entre várias instituições financeiras e entre empresas do mesmo grupo empresarial.

Como fortalecimento desse sistema e focando na ampliação da base de dados, o Banco Central determinou que no momento da sua implantação, a Central de Risco receberia somente informações individualizadas das operações de crédito acima de R$ 50.000,00, mas no ano seguinte, através da Circular 2999/00, o valor foi alterado para R$ 5.000,00, ampliando o volume de operações detalhadas no sistema.

Agora, o Banco Central monitora todos os financiamentos com valor igual ou superior a R$ 1.000,00 visando avaliar melhor o impacto que a expansão do crédito traz ao sistema financeiro.

Tudo bem, você deve estar se perguntando, entendi como o Banco Central monitora o sistema financeiro, mas como é feito essa classificação de risco? Como posso obter o meu nível de risco no sistema financeiro?

A classificação de risco é extremamente simples de entender, pois é utilizado um sistema de letras, onde o risco do cliente para o sistema financeiro poderá ter atribuído um “AA” até o nível “H”, sendo o duplo “A” um cliente com seus pagamentos em dia e o “H” um cliente com atrasos superiores a 180 dias em qualquer um dos financiamentos que porventura possua no sistema financeiro.

O impacto dessa classificação de risco para o cliente é sentida no momento da busca do crédito junto às instituições financeiras, pois um determinado cliente que tenha uma classificação de risco alta no sistema, poderá não obter êxito na sua busca, e esse fato não somente pela negativa do banco, mas também pelo Banco Central.

Mas, temos um fator altamente positivo para os clientes que pagam seus compromissos em dia, pois poderão negociar melhores condições de financiamento junto às instituições financeiras.

No outro lado da negociação, as instituições financeiras têm um interesse muito forte em conhecer o nível de risco dos seus clientes e dos potenciais, pois poderão oferecer produtos diferenciados e parametrizados de acordo com a necessidade. Esse fato ocorre diariamente, pois muitos já devem ter percebido que nos caixas automáticos dos bancos, antes de acessar o sistema para realizar a transação, surge uma solicitação de autorização de acesso à Central de Risco do Banco Central para que possa melhorar o relacionamento com o cliente.

E esse é um fato que merece destaque, pois para qualquer instituição financeira acessar as suas informações na Central de Risco ela deverá possuir autorização expressa para tal. Repare que nos cadastros dos bancos, naquelas letras geralmente minúsculas, está uma solicitação para acesso aos dados do cliente na Central de Risco do Banco Central.

Como política de divulgação da Central de Risco, o Banco Central está disponibilizando cartazes em Instituições Financeiras, Casas Lotéricas e Correspondentes Bancários explicando o funcionamento e as vantagens do sistema.

Então, ficou curioso em saber mais sobre o SCR – Sistema de Central de Risco do Banco Central? Acesse: http://www.bcb.gov.br/?SCR

Fonte
Blogs SEBRAE/PR

 

Deixe seu comentário:









Digite este número...

O que você achou desta matéria?

Vote e ajude-nos a melhorar.



Os seu e-mail e o seu CPF não serão exibidos nos comentários. Eles serão guardados em nossa base para podermos atender você, cada vez melhor!

Boletins especiais