Histórico

Mais votados

Cadastre-se

Preencha os campos abaixo para receber o Boletim do Empreendedor gratuitamente:


8 dúvidas de quem pensa em abrir uma empresa digital

Edição: 10/2014

Com o crescimento, o aprimoramento e a popularização de novas tecnologias, abrir uma empresa digital ficou mais fácil. Apesar de alguns custos terem caído, o planejamento, a pesquisa e análise do mercado ainda são pontos essenciais para criar um negócio – e, muitas vezes, essas tarefas são esquecidas pelos empreendedores.





“Hoje em dia é possível abrir uma empresa digital sem gastar quase nada. Falo isso por experiência própria”, afirma Edilson Osorio Junior, fundador da Daruni Healthcare, um portal de e-commerce, informações e empregos voltado para a terceira idade.

Junior respondeu a oito dúvidas muito comuns que esses empreendedores encontram na hora de abrir uma empresa digital. Confira as respostas abaixo.

1. No que o empreendedor deve pensar antes de abrir uma empresa digital?
A abertura de uma empresa digital tem mais chances de sucesso se o idealizador se qualificar como empreendedor primeiro. Seguir todas as etapas que já estão mapeadas por pessoas muito mais experientes pode rapidamente nos livrar de muitos problemas. Para isso existem cursos, palestras e livros sobre empreendedorismo e acredito que o Eric Ries (escritor do “Startup Enxuta”) seja um ótimo ponto de partida, além dos cursos online do Sebrae por exemplo. Abrir a empresa digital deve ser igual a começar qualquer outro negócio físico. Primeiro o empreendedor deve se perguntar e refletir profundamente: qual valor eu vou entregar? Na sequência, deve olhar para o mercado e entender quem são seus possíveis concorrentes, quais seus diferenciais em relação a eles e aos produtos deles, e, então, tentar conversar com os consumidores estabelecidos desses produtos para entender o que seus possíveis concorrentes têm e não têm entregado a eles.

2. Como saber se uma ideia é realmente boa?
Eu costumo brincar que não existem ideias ruins, existem ideias pouco pensadas. Se ela é boa ou não depende de como você a desenvolve, de como a apresenta para o mercado. Assim que a proposta de valor estiver bem elaborada, a ideia pode começar a sair do papel e ser testada continuamente e de maneira cíclica. Somente assim ela pode ser devidamente lapidada e melhorada após os feedbacks coletados em cada teste.

3. Como definir o público?
A definição do seu público é o ponto mais importante após desenvolver sua proposta de valor, pois é ele quem vai de fato usar seu produto. Nesse ponto você deve bifurcar em duas áreas que seriam B2C e B2B e então levantar quais os prós e contras para cada um. É muito difícil tentar atacar essas duas frentes ao mesmo tempo, pois cada uma possui necessidades muito específicas. Também deve ser levado em consideração o aspecto da escalabilidade: em qual mercado (consumidor final ou empresa) há a possibilidade de escalar o seu produto rapidamente? E, em alguns casos, o aspecto social: em qual mercado o seu produto pode ser necessário e eficiente no quesito de salvar vidas?

4. Como definir o modelo de negócio?
Como faturar é muito importante, o empreendedor erra ao se prender muito cedo a esse ponto, até ignorando o restante das áreas que devem ser muito bem desenvolvidas antes. Descobrir como se pode faturar é muitas vezes a última coisa que acontecerá durante o processo de construção do modelo de negócios. O desenvolvimento adequado do produto por um time extremamente competente e multidisciplinar, aliado a uma estratégia de marketing e sua equipe de vendas, obterá os resultados financeiros esperados.

5. Qual a importância da parte tecnológica? Como economizar e ainda não perder na qualidade?

Tratando-se de uma empresa digital, a parte tecnológica bem estruturada é primordial. Mas não significa necessariamente que ela tenha de ter um custo alto. É possível desenvolver e modelar qualquer negócio gastando quase nada principalmente porque hoje não há mais a necessidade de haver uma infraestrutura instalada dentro da empresa em estágio inicial. Hoje existem dezenas de ferramentas gratuitas ou muito baratas que vão auxiliar o empreendedor por muito tempo durante o desenvolvimento do seu negócio. A maioria desses serviços operam como SaS e possuem versões gratuitas e pagas.

6. Como escolher a equipe?

Em uma startup, normalmente o time inicial é formado por sócios e isso tem o ponto positivo de diminuir ou distribuir o risco que é lançar um novo negócio. Acredito que esse time deva ser multidisciplinar, totalmente pró-ativo, atualizado, envolvido e alinhado com o projeto, além de harmonioso, responsável e emocionalmente estável. Mas um bom time sempre tem uma pessoa que entrega muito bem e outra que venda muito bem. Em uma empresa digital é necessário também alguém que entenda bastante de tecnologia. As pessoas têm que entender bem qual é o seu papel dentro da sua área e aprender que as áreas devem caminhar por si só, tentando minimizar a imagem do centralizador que normalmente o modelo de empresa tradicional tem. O papel do líder deve ser muito claro, mas deve entender o formato horizontalizado que as startups trabalham hoje em dia.

7. Quais são os principais obstáculos?
O principal obstáculo é a própria cabeça do empreendedor. Normalmente ele não segue todos os passos e não valida o suficiente antes de começar a desenvolver o seu produto. Na maioria esmagadora das vezes é por causa de alguma imaturidade egocêntrica. A demora em começar a faturar também é um obstáculo, pois muitos desistem antes que seu negócio esteja maduro suficiente para o mercado. O mercado brasileiro infelizmente não facilita o desenvolvimento de novos negócios. Em linhas gerais, o nosso mercado ainda é muito engessado, burocrático, caro e ainda conta com maus profissionais da área tecnológica, já que não há uma regulamentação adequada para essa área.

8. Quais são os erros mais comuns?
Achar que todos vão querer o seu produto porque sua ideia é boa é um erro comum e isso normalmente leva ao lançamento de algo que gera pouco interesse. Outro erro é não validar hipóteses incansavelmente. Ela pode se estender mais que o esperado, fazendo com que a tração demore a acontecer e isso pode desestimular a equipe. A escolha de tecnologias também deve ser levada em consideração. Muitos optam por tecnologias pagas logo no início, quando deveriam procurar pelas versões gratuitas e gastar somente com o que for absolutamente essencial. Não se adaptar a multidisciplinaridade e a horizontalização hierárquica são erros igualmente comuns. Tentar começar fora da lei também pode ser uma grande falha para quem quer abrir uma empresa digital.

Fonte
Pequenas Empresas & Grandes Negócios

 

Deixe seu comentário:









Digite este número...

O que você achou desta matéria?

Vote e ajude-nos a melhorar.



Os seu e-mail e o seu CPF não serão exibidos nos comentários. Eles serão guardados em nossa base para podermos atender você, cada vez melhor!

Boletins especiais