Histórico

Mais votados

Cadastre-se

Preencha os campos abaixo para receber o Boletim do Empreendedor gratuitamente:


Você vende seu produto para qualquer um?

Edição: 12/2014

Um dos objetivos de uma empresa é ter retorno financeiro e obviamente para isso é necessário vender. Mas uma empresa pode recusar uma venda?



Por questões de crédito já é muito comum recusar uma venda, mas não vender determinado produto, pois aquele cliente não faz parte do público-alvo já é mais difícil acontecer. Uma forma de isso acontecer sem que simplesmente negue a venda é aumentar o preço permitindo que apenas o público-alvo do produto possa comprar. Um exemplo conhecido por muitos é da Ferrari que não vende seus carros apenas para quem pode pagar. Os compradores são analisados e somente aqueles que realmente representam o estilo Ferrari de ser é que tem permissão de comprar um carro de sua marca.

Não vender para qualquer um exige ter um produto exclusivo e único. Quando um consumidor compara um produto e não consegue enxergar a diferença entre eles, sendo que esta grande diferença está apenas no preço, isso pode significar que esta empresa que cobra muito mais pode estar restringindo a compra de seu produto e sutilmente te informando que isso é para poucos. A empresa precisa saber usar esta estratégia para não transmitir para o mercado certa arrogância, portanto precisa conhecer profundamente seu cliente. A percepção deste cliente de que vale a pena pagar mais é fundamental para o sucesso desta estratégia.

Outra forma de negar uma venda é quando o cliente não percebe que aquele produto não atenderá suas expectativas e não tem conhecimento suficiente para tomar esta decisão sozinho. Isso exige muita ética da empresa e ter plena consciência que a satisfação do cliente é mais importante que o faturamento. Nestes dois casos isso implicará no Posicionamento da Marca da sua empresa, ou seja, qual a imagem que deseja que sua empresa tenha perante seu público-alvo.

No primeiro caso é impedir que seu produto chegue à mão de quem não representa seu público e o preço pode limitar este acesso. No segundo caso é a construção de uma imagem de credibilidade, qualidade e seriedade em que a satisfação é mais importante que o faturamento.

E sua empresa já deixou de vender algo por algum destes motivos? Comente aqui. 

Por Ronaldo Hofmeister

Fonte
Blogs SEBRAE/PR

Deixe seu comentário:









Digite este número...

O que você achou desta matéria?

Vote e ajude-nos a melhorar.



Os seu e-mail e o seu CPF não serão exibidos nos comentários. Eles serão guardados em nossa base para podermos atender você, cada vez melhor!

Comentários (2)

-
Tive uma confecção de roupas femininas onde primava pela qualidade do produto e satisfação da cliente...consegui fidelizar muitas delas, mas acabei fechando porque o faturamento era muito baixo... hoje estou focando no que faltou na época pra marca ser um sucesso... planejamento e boa administração !!!
-
 Olá Vanda, Boa Noite!

Excelente comentário, sua contribuição no boletim é valiosa para todos os leitores. Desejamos sucesso a você e conte sempre com a ajuda do Sebrae.
-
Quando um cliente não der lucro, só servindo de incomodo a gente trata de descartar, e, para isso tem que usar uma certa diplomacia que não venha ofender o dito cujo.
-
 Olá Jacob,

Obrigada por comentar.

Boletins especiais