Histórico

Mais votados

Cadastre-se

Preencha os campos abaixo para receber o Boletim do Empreendedor gratuitamente:


Pesquisa da CNI aponta que 69% das empresas têm dificuldade com trabalhador sem qualificação

Edição: 05/2011

Segundo o levantamento, 94% têm problemas para encontrar operadores para a produção e 70% afirmam que a carência de profissional qualificado prejudica o aumento da competitividade.

De acordo com a Sondagem Especial – Trabalhador Qualificado, elaborada pela CNI, 78% das empresas para as quais falta trabalhador qualificado têm programas de capacitação como uma das formas de lidar com o problema, Segundo a pesquisa, 52% dizem que a má qualidade da educação básica é a principal dificuldade para qualificar os funcionários. Conforme os dados, 99% das empresas consultadas acreditam na necessidade de investir na qualificação dos funcionários, mas 99% têm dificuldade para qualificá-los.

Entre as entrevistadas, 931 são pequenas empresas, 464, médias e 221, grandes. Daquelas que disseram ter dificuldades, 70% são pequenas, 70% médias e 63% grandes. Entre os setores mais críticos en relação à mão de obra qualificada estão o de vestuário (84%), outros equipamentos de transportes - que inclui todos que não são da cadeia produtivas de automóveis - (83%), limpeza e perfumaria (82%) e móveis (80%).

Para o gerente-executivo da CNI, Renato da Fonseca, a má qualidade da educação básica atrapalha na capacitação do trabalhador por parte da empresa em atividades específicas. “O principal efeito é a queda da produtividade, porque em todo o trabalho produtivo é necessário um trabalhador com bom raciocínio lógico, boa experiência para reduzir o custo e excessos na produção e isso está muito difícil com a baixa qualificação dos trabalhadores.”

Fonseca disse também que outro efeito da baixa qualificação é que as empresas não conseguem manter a qualidade dos produtos, o que afeta a competitividade em relação ao resto do mundo. “Neste cenário fica muito difícil o Brasil atingir níveis observados em outros países, porque as empresas não conseguem se colocar no mercado internacional e se desenvolverem. E para ter esse trabalhador qualificado é preciso resolver o problema da educação básica, que leva gerações para ser resolvido.”

Fonte: http://www.empreendedor.com.br

Deixe seu comentário:









Digite este número...

O que você achou desta matéria?

Vote e ajude-nos a melhorar.



Os seu e-mail e o seu CPF não serão exibidos nos comentários. Eles serão guardados em nossa base para podermos atender você, cada vez melhor!

Comentários (3)

-
Bom dia Concordo com a Sra. ZeliaA. R. , depende do de que tipo de qualificação eles querem...Eu sou formado em administrador, tenho um perfil de empreendedor, e nao consigo arrumar um emprego bom, mando o curriculum e nao recebo retorno...Eu acho que algumas das pessoas que fazem as seleçoes e que precisam de mais qualificação...
-
DEPENDE DO QUE ACHAM QUALIFICAÇAO PORQUE E E MUITAS OUTRAS PESSOAS QUE CONHEÇO QUE TEM GRADUAÇAO E POS GRADUAÇAO E NAO CONSEUIMOS TRABALHO E ISTO , EU PERGUNTO , NAO É QUALIFICAÇAO?
-
Realmente a educação básica de baixa qualidade é um problema atual grave. As famílias estão transferindo para as escolas responsabilidades que são de atribuição dos pais como formação de caráter, responsabilidade e valores. Estas bases formam pessoas que mais tarde irão "cair" no mercado de trabalho sem equilibrio emocional e comprometimento nenhum. Todo o ciclo de crescimento pessoal acaba atrasando. Outra questão a considerar é que atualmente o ensino, principalmente superior tem seu acesso facilitado, aumentando a população de graduados. Contudo, qual é a qualidade desta mão de obra que é absorvida pela mercado? Em muitas instituições de ensino, quem coloca as regras do dia a dia educacional é o aluno. Algumas instituições relaxam o rigor das normas. Isto afeta diretamente o modo do aluno se relacionar com normas e regras, gerando reflexos no seu relacionamento profissional, quando está no mercado de trabalho.

Boletins especiais