Histórico

Mais votados

Cadastre-se

Preencha os campos abaixo para receber o Boletim do Empreendedor gratuitamente:


Sua empresa no futuro: conheça essas tendências e saia na frente da concorrência

Edição: 06/2017

A tecnologia vem transformando consideravelmente a relação entre os indivíduos e o mundo que os cerca. O acesso à informação tornou as barreiras geográficas e a sensação de tempo e espaço inexistentes.

A inovação é essencial para diferenciar uma empresa de seu concorrente, aumentar a participação no mercado e a lucratividade, além de agregar valor aos produtos e serviços, ampliar a relação com novos mercados e abrir portas para parcerias. Diante das grandes transformações que a tecnologia possibilita, a inovação é imprescindível para criar uma relação de interlocução entre empresas e o ambiente dinâmico na qual estão inseridas.

Partindo dessa premissa, o estudo batizado de “Future Vision” tem como objetivo contribuir para o aumento da competitividade das empresas oferecendo uma compilação e análise das principais tendências tecnológicas para os próximos três anos.

Com o propósito de estimular, acelerar e ampliar a cultura da inovação, a área de inovação da Stefanini investiga em seu primeiro estudo quais são as principais tendências tecnológicas e como elas podem impactar estrategicamente nos negócios.

Entre as previsões para 2015, 2016 e 2017 estão:

1- CLOUD EVERYWHERE


Estilo de computação onde capacidades escaláveis e elásticas da TI são disponibilizadas como serviço para empresas que utilizam internet. Tendência há alguns anos na área de Tecnologia das empresas, as soluções de Cloud Computing passaram de provedores de serviços de infraestrutura para plataformas tecnológicas para suportar aplicações de negócios.

Tanto no mercado global quanto no brasileiro, a agilidade proporcionada pela Cloud Computing para promover a inovação nas empresas fez com que a adoção de soluções em nuvem tivesse um aumento signi­ cativo, que vem desde 2013. E a tendência é crescer ainda mais.

Nos próximos anos, será impossível pensar em e­ ciência de processos de TI sem falar em nuvem. O modelo atende às necessidades de empresas de todos os portes. As empresas vislumbram na computação em nuvem a oportunidade de conseguir mais eficiência, agilidade e redução de custos. Estima-se que, até 2016, 75% do fornecimento da TI para organizações será baseado em cloud, sendo 39% em nuvem privada, 21% no formato gerenciado por terceiros e 15% em pública.


- 24% é a expectativa de Redução de custos com hardware até 2016 (Savvis)
- 75% dos CIO’s adotarão Cloud como estratégia a partir de 2016 (Savvis)
- 89% das empresas já utilizavam Cloud Computing até o último ano

SEGMENTOS DE MAIOR IMPACTO: Educação, varejo, logística, financeiro, governo, hoteleiro.

APLICAÇÃO AO SEU NEGÓCIO:
Empresas de diversos segmentos procuram gerar emancipação de infraestrutura e trazer elasticidade a uma aplicação. Para isso, a Stefanini oferece um trabalho de migração de aplicações para Cloud Computing, utilizando, por exemplo, serviços como o da Amazon EC2 e/ou Microsoft Azure. Com isso, ganha-se flexibilidade no uso do serviço, bem como redução de custos. Além de escalabilidade e aumento de desempenho, permite um rápido rollout para outros locais que estão geograficamente distantes.

- 24% é a expectativa de Redução de custos com hardware até 2016 (Savvis)
- 75% dos CIO’s adotarão Cloud como estratégia a partir de 2016 (Savvis)
- 89% das empresas já utilizavam Cloud Computing até o último ano

SEGMENTOS DE MAIOR IMPACTO: Educação, varejo, logística, financeiro, governo, hoteleiro.

APLICAÇÃO AO SEU NEGÓCIO: Empresas de diversos segmentos procuram gerar emancipação de infraestrutura e trazer elasticidade a uma aplicação. Para isso, a Stefanini oferece um trabalho de migração de aplicações para Cloud Computing, utilizando, por exemplo, serviços como o da Amazon EC2 e/ou Microsoft Azure. Com isso, ganha-se flexibilidade no uso do serviço, bem como redução de custos. Além de escalabilidade e aumento de desempenho, permite um rápido rollout para outros locais que estão geograficamente distantes.

2 – SECURITY REPUTATION

Está atrelada à crescente necessidade dos clientes de se certi­ficarem de que os produtos e serviços que consomem são realmente seguros. Nesse sentido, deverá haver um reforço no compromisso com a responsabilidade de sigilo de informações e na segurança da transação de dados.

- 2015: exploração de segurança da internet, privacidade, dispositivos móveis, internet das coisas e espionagem virtual, já que 2014 ficou conhecido como o ano da confiança abalada
- 18 milhões de senhas de e-mail foram vazadas em setembro de 2014
- 87% dos brasileiros pesquisados se disseram preocupados com violação de dados em instituições financeiras (Security Index, 2013)
- US$71 bilhões foi o gasto mundial em segurança da informação no ano de 2014 (Gartner, 2014)
- US$ 9 milhões foi o prejuízo aproximado de empresas brasileiras com vazamento de dados em 2014
- 70 milhões de clientes foram expostos em vazamento de informações sigilosas da empresa americana Target (Forbes, 2014)

SEGMENTOS DE MAIOR IMPACTO: Bancos, seguradoras, e-commerce, manufatura e varejo.

APLICAÇÃO AO SEU NEGÓCIO: A Stefanini desenvolve soluções em sistemas bancários internos que centralizam e automatizam os processos de unificação de saldos, que podem ser operados em expedientes alternativos ao bancário.

Assim, você adquire maior segurança e agilidade no processo de centralização de saldos, evitando, assim, falhas humanas (digitação/preenchimento de formulários, entre outros). Ou seja, é possível tornar mais segura a unificação de saldos referentes às contas dos clientes.

3 – COGNITIVE TECHNOLOGIES

Uma categoria de tecnologias que utiliza processamento de linguagem natural e aprendizagem de máquina para permitir que pessoas e máquinas interajam de forma mais natural. Estes arranjos tecnológicos criarão sinergia, a ­ m de prestar assistência especializada para diversas atividades humanas em uma fração de tempo.

Sistemas de Informação estão se tornando mais inteligentes e serão cada vez mais capazes de tomar decisões de negócios, com menor investimento (Gartner).

Barclays, um dos maiores bancos do Reino Unido, vem investindo fortemente em sensores biométricos, como o reconhecimento de padrões de voz, para aumentar a segurança de seus usuários.

A complexidade de automação e redução de modelagem de dados oferecidos por um número de fornecedores de analytics hoje é largamente atribuído à Machine Learning.

Até 2018, metade dos consumidores irão interagir com serviços baseados em computação cognitiva (IDC,2014).

Até 2020 espera-se que o número dados não estruturados ultrapasse em nove vezes o volume de dados estruturados. Isso reforça, ainda mais, o uso do processamento de linguagem natural, ou seja, a capacidade de compreender dados não estruturados, um dos componentes da computação cognitiva.

SEGMENTOS DE MAIOR IMPACTO: Educação, varejo, financeiro, governo, saúde e hoteleiro.

APLICAÇÃO AO SEU NEGÓCIO:
É possível aprimorar a eficiência e minimizar falhas e fraudes no que tange à conferência de documentos bancários realizados manualmente. Algumas empresas vêm perdendo sua cartela de clientes por não dispor de meios seguros para eliminar contrafações a preços competitivos. A Stefanini oferece soluções inovadoras voltadas para o aferimento de cheques e contratos através de inteligência cognitiva, dentre outros meios. Logo, é proporcionado para o cliente maior agilidade, escalabilidade e segurança aos processos de conferência, que, anteriormente, eram executados por meio do trabalho de terceiros. Além disso, a automatização de tarefas causa a redução de custos e permite mais segurança, já que a inteligência cognitiva é capaz de detectar, efi cientemente, tentativas de fraude.

4 – SMART DATA

São todos os tipos de dados gerados ou integrados a ambientes digitais capazes de serem parametrizados, analisados e utilizados de maneira a gerar informações mais estratégicas para a empresa. Em um cenário corporativo cada vez mais complexo e acelerado, informações relevantes e estratégicas são ativos muito valiosos para as empresas tomarem decisões.

Possuir uma estrutura de serviços e soluções de Analytics para aprimorar, extrair e prover informações estratégicas para as empresas é essencial para o sucesso dos negócios. Tendo como base a combinação entre velocidade, volume, variedade, veracidade e valor dos dados reunidos, o Big Data é um conceito que foca a análise desses dados a ­ fim de proporcionar maior poder de decisão e de estratégias para empresas.

A tecnologia de Big Data permite cada vez mais possibilidades com a ingestão de mais fontes de dados, alinhada à atual tendência ao processamento de informações em tempo real. Combinados com novos modelos estatísticos, a tecnologia pode revolucionar várias áreas e operações.

- US$ 32 BILHÕES, aproximadamente, será o mercado de Big Data até 2017
- US$ 819 MILHÕES foi o crescimento sustentável de Big Data na América Latina em 2014
- US$ 41,52 BILHÕES É o que se espera em faturamento global em Big Data até 2018

SEGMENTOS DE MAIOR IMPACTO: Financeiro, seguros, varejo e governo.

APLICAÇÃO AO SEU NEGÓCIO: Obtenha uma visão única dos usuários por meio da junção de inúmeros produtos em um único e-commerce. Uma loja virtual não consegue manter seu público por não conhecer suas preferências e gostos. Mais que isso, há uma vasta gama de URLs e a escassa percepção e análise de informações indispensáveis, como compras, produtos mais buscados ou páginas de abandono. Como apreender as inclinações dos usuários e trabalhá-las em seu benefício.

A Stefanini investe em recursos tecnológicos para plataformas e- -commerce que, além da elaboração de um planejamento de métricas e implantação de ferramentas de analytics, permitem a unificação de padrões de navegação e a unificação de URLs. Dentre os vários benefícios, é possível perceber a humanização das páginas e suas URLs, o incremento de eficiência e assertividade no que tange ao uso dos dados oriundos da web, profunda apreensão do comportamento do usuário e contemplação das áreas de negócios na manipulação de dados.

5 – USER CENTERED

É ter o usuário como o ponto central do desenvolvimento de produtos, processos, serviços ou modelos de negócios, considerando suas falas, ações, pensamentos e sentimentos. Esse direcionamento permite que o usuário tenha uma melhor experiência de uso, possibilitando às organizações alcançar a inovação de forma mais e­ caz. Algumas abordagens qualitativas oriundas do Design, Marketing e Tecnologia conseguem aproximar as organizações dos usuários, dentre as quais estão o Design Thinking, User Experience, Customer Development e o Customer Experience.

Nos últimos dez anos, as empresas que investiram em design centrado no usuário tiveram um crescimento até 228% maior do que aquelas que investiram em S&P index.

“Nossos líderes sêniores me dizem: ‘Eu consigo mensurar vendas, consigo mensurar receita, consigo mensurar toda e qualquer função na empresa, mas não consigo medir as coisas que o time de design faz. Tudo que sei é que toda vez que eles fazem algo e os usuários conseguem ver e entender a diferença, nós vendemos mais’. Isso é valor.” (Bob Schwartz, General Manager Global Design and User Experience, GE Healthcare).

- 3 milésimos de segundo é o tempo que o usuário leva para decidir se gosta ou não de um website
- 80% dos consumidores hoje pesquisam suas compras na internet antes de visitarem lojas física

SEGMENTOS DE MAIOR IMPACTO: Educação, varejo, financeiro, governo, utilidades e entretenimento.

APLICAÇÃO AO SEU NEGÓCIO: Elimine falhas de navegação que dificultam a compreensão e experiência dos usuários e contribuem com a perda de produtividade. Um portal eletrônico ainda não investe na experiência de seus usuários e vem percebendo que sua atuação tem sido pouco efetiva e rentável para seus idealizadores. Neste ambiente, a Stefanini desenvolve guias que promovem a geração de interfaces padronizadas, orientadas para cada perfil de usuário.

Embasadas pela expansão da produtividade, a Stefanini cria vantagens que apontam maior assertividade na execução de atividades e nas aplicações para os usuários, reduzindo a necessidade de treinamentos destinados para sistemas diferentes entre si.

6 – REAL TIME

Real Time é uma revolucionária tecnologia que permite ao usuário ter acesso à informação em tempo real. Clientes e usuários ­ nais poderão assistir instantaneamente operações ou ter acesso a informações atualizadas. A urgência pela disponibilidade de dados é um fenômeno que vem ditando a orientação de muitos serviços e produtos.

O Real Time ‘Best Next Action’ indicado para interações de alto risco, como abandono de clientes, avaliação de fraude e gestão de risco. Trata-se de uma tecnologia em status emergente, com cerca de 1% a 5% de penetração do mercado. Já o Real Time ‘Data Integration’ é uma tecnologia quase madura, com alto grau de penetração e expansão no mercado. Ela é utilizada para captura, processamento, transformação, limpeza, qualificação e carga de dados provenientes de múltiplas origens e com um ou mais destinos.

- Real-Time-Bidding permite a compra e venda de mídia em tempo real. Pode ser altamente lucrativo, pois o anunciante pode ter sua audiência segmentada e qualificada para cada campanha, melhorando o desempenho delas.

- App preditivos são capazes de perceber seu ambiente e responder em tempo real, antecipar a ação do usuário e atender os usuários em seu momento de necessidade.

- US$ 20,8 bilhões será o valor investido mundialmente em Real Time Bidding (RTB) até 2017 (IDC).
- US$ 133,6 milhões é o valor estimado em investimentos em RTB nível Brasil, representando 52% da fatia América Latina (IDC).

SEGMENTOS DE MAIOR IMPACTO: Aviação, varejo (on-line), fi nanceiro, governo, saúde.

APLICAÇÃO AO SEU NEGÓCIO: Potencialize processos de vendas e atendimentos em tempo real, integrando diversos ambientes heterogêneos. Por meio do SOA (Service-Oriented Architecture), arquitetura de software que visa a funcionalidades disponibilizadas como serviços, o mapeamento, otimização e automação dos processos (BPM) de vendas e atendimento é facilitado.

A adoção de integrações SOA, on-line, dentre as aplicações das lojas, call center, backoffice, serviços externos e ERPs tem como resultados o atendimento rápido e personalizado aos clientes; flexibilidade para incluir e alterar produtos, planos e promoções, monitoramento em tempo real das vendas e atendimento e redução do tempo de atendimento.

7 – INTERNET OF EVERYTHING

É um conceito no qual dispositivos de nosso dia a dia são equipados com sensores capazes de captar aspectos do mundo real, como por exemplo, temperatura, umidade, presença, entre outros, e enviá-los a centrais que recebem estas informações e as utilizam de forma inteligente. Consiste na interligação de objetos e aparelhos a grandes bases de dados e redes, gerando registros de dados sobre cada coisa a ela relacionada.

A Internet das Coisas vai criar uma rede de centenas de bilhões de objetos identifi­cáveis e que poderão interoperar uns com os outros e com os data centers e suas nuvens computacionais. A Internet das Coisas está tornando o mundo mais inteligente e vai impulsionar o mercado mundial, injetando bilhões de novos produtos e de consumidores a­cionados: sensores automobilísticos, softwares, sistemas GPS, aplicativos que monitoram pacientes cardíacos, medem pressão, tênis que transmitem dados do exercício do atleta para o celular, que via aplicativo analisa o desempenho, dispositivos conectados no lar entre outros.

- Até 2020, estima-se um investimento de até US$ 300 bilhões em Internet das Coisas, sendo US$ 69 bilhões para 2015 (Gartner).
- 14 bilhões é o número de objetos conectados à internet e estima-se um número entre 20 e 100 bilhões (UK Government, 2014)
- Em 2015, o número de dispositivos conectados à Internet das Coisas (IoT) deve chegar a 4,9 bilhões, um aumento de 30% em relação a 2014
- Em 2014, 86,7 milhões de habitantes estavam plugados na rede mundial de computadores, o que representa mais de 50% de sua população (IBGE, 2014)

SEGMENTOS DE MAIOR IMPACTO: Seguros, agronegócio, varejo, educação, hospitalar e indústria, transporte e logística.

APLICAÇÃO AO SEU NEGÓCIO: Como minimizar divergências entre os dados quantitativos informados pelos navios, por exemplo, e as informações factuais? Exemplo: Uma frota de navios costuma ser um problema quando tratamos do fator carga. Volumes diferenciados daqueles que são auferidos fazem com que a eficácia e performance da empresa sejam prejudicadas, devido ao tempo e montante de investimentos desperdiçados com esta finalidade.

Como resolver essa equação? A Stefanini desenvolve soluções que consistem nas conexões entre a Balança de uma das partes ao sistema de supervisão e controle, o qual se comunica em fibra óptica via rede, capaz de conversar com um das fibras localizadas em uma correia próxima aos descarregadores d navio. Os benefícios são aumento da eficiência, redução de tempo e retração de custos.

Por Diana Carvalho – DFreire

Fonte:www.stefanini.com

Deixe seu comentário:









Digite este número...

O que você achou desta matéria?

Vote e ajude-nos a melhorar.



Os seu e-mail e o seu CPF não serão exibidos nos comentários. Eles serão guardados em nossa base para podermos atender você, cada vez melhor!

Boletins especiais