Histórico

Mais votados

Cadastre-se

Preencha os campos abaixo para receber o Boletim do Empreendedor gratuitamente:


Cenário político impacta confiança dos pequenos empresários em junho.

Edição: 07/2017

A confiança dos micro e pequenos empresários subiu em junho, na relação com o mesmo mês de 2016, segundo indicador do SPC Brasil e da CNDL. Em junho, a confiança ficou em 46,9 pontos, contra os 42,9 pontos de de junho do ano passado.

O indicador varia de zero a 100 pontos, sendo que acima dos 50 pontos, a confiança é maior e abaixo desse valor, há desconfiança.

A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora!

Apesar dessa alta, na comparação com maio, houve queda de 5,8%. A alta na comparação anual mostra que houve um início de recuperação da confiança por conta das expectativas de retomada econômica. Contudo, a queda mensal mostra que o otimismo foi impactado pelas novas notícias de Brasília, envolvendo o presidente da República Michel Temer em esquemas de corrupção.

“Ao longo dos últimos anos, a sondagem mostrou que a crise política é fator sempre relevante para justificar o pessimismo com o futuro da economia”, disse em nota o presidente da CNDL, Honório Pinheiro. Para ele, com o aprofundamento do impasse político e, por consequência, o adiamento das reformas estruturais, “corre-se o risco de a confiança voltar ao patamar do auge da crise, adiando ainda mais a recuperação econômica”.

Hoje e amanhã

O Indicador de Confiança avalia a confiança dos pequenos empresários com relação às condições atuais e às expectativas para o futuro do negócio e da economia.

Segundo a pesquisa, 67% dos micro e pequenos empresários de varejo e serviços acreditam que a economia piorou ou piorou muito nos últimos seis meses, enquanto só 10% consideram ter havido melhora.

Entre os empresários que avaliaram que a situação de seu próprio negócio piorou nos últimos seis meses, 66% identificou a piora com a queda das vendas. Em seguida, 13% dizem que a situação de seu negócio piorou em razão do aumento dos preços de insumos ou produtos, e 8% alegam atuar em um ramo que está em baixa. Além desses, 6% mencionam o crescimento da inadimplência.

Sobre o futuro, 41% estão confiantes com o futuro da economia. A maior parte dos empresários acredita que o faturamento das suas empresas deve se manter estável nos próximos seis meses (45%) – 40% acreditam que deve aumentar e apenas 8% acreditam que suas receitas cairão. Entre os que esperam crescimento, 32% não sabem apontar a razão do otimismo, enquanto 20% creditam a melhora à busca de novas estratégias de vendas e 16% afirmam ter melhorado a gestão da empresa. 


Fonte: Portal no Varejo


Deixe seu comentário:









Digite este número...

O que você achou desta matéria?

Vote e ajude-nos a melhorar.



Os seu e-mail e o seu CPF não serão exibidos nos comentários. Eles serão guardados em nossa base para podermos atender você, cada vez melhor!

Boletins especiais