Histórico

Mais votados

Cadastre-se

Preencha os campos abaixo para receber o Boletim do Empreendedor gratuitamente:


Conheça sobre cada tipo de empréstimo e confira qual é o mais adequado para o seu negócio.

Edição: 07/2017

Capital de Giro

Destina-se a compra de mercadorias, reposição de estoques, despesas administrativas, entre outros. Ou seja, para o giro operacional das empresas.

Os empréstimos para capital de giro podem ser liberados de duas formas: - Isoladamente (capital de giro puro) – na maioria das vezes, este tipo de empréstimo não necessita da comprovação de sua destinação.

- Associado a investimentos fixo (capital de giro associado) – destinado à compra de insumos e/ou mercadorias.

Características:

Taxa de juros pré-fixada;
Financiamentos de curto prazo e sem carência;
Possibilidade de garantia por meio do próprio sócio.


Investimento Fixo

Operações de crédito de longo prazo destinadas a financiar implantação, expansão e modernização empresas, e, ainda, reposição de máquinas, equipamentos, móveis, utensílios e veículos; obras civis e instalações.

Essas operações financiam os ativos imobilizados das empresas: itens de permanência duradoura, destinados ao funcionamento das atividades da empresa.


Investimento Misto


Trata-se do capital de giro associado ao investimento. Por exemplo, a empresa financiou uma máquina e poderá necessitar de capital de giro para a matéria-prima.



Características:

Taxa de juros pré-fixada;
Financiamento de longo prazo e com carência;
Exigência de garantias reais, como bens e imóveis;
Exigência de recursos próprios.


Antecipação de Receita


Os recebíveis de sua empresa, ou seja, os valores a receber das vendas a prazo podem se transformar em garantias ou recursos à vista, por meio das seguintes formas de financiamento:

desconto de duplicatas e promissórias: a empresa cede esses títulos ao banco e obtém capital de giro para alavancar seus negócios, antecipando os recebimentos de suas vendas a prazo;
desconto de cheques: os cheques pré-datados são entregues e descontados antecipadamente no banco, que fornece à empresa recursos para cobrir eventuais necessidades de caixa;
faturas de cartões de crédito: a empresa cede seus créditos futuros ao banco e obtém capital de giro para alavancar seus negócios, colocando as faturas de cartão como garantia da operação.


Venda

A empresa pode obter um empréstimo direto do banco para os seus compradores e, assim, receber suas vendas à vista.



Compra

Permite que a empresa compre à vista de seus fornecedores com redução de custos. O banco deposita o valor da compra na conta do fornecedor e a empresa paga ao banco a prazo.



Conta Garantida

Linha de crédito rotativo vinculada à conta corrente da empresa. Os recursos são disponibilizados a qualquer momento, por solicitação do cliente. A garantia pode ser constituída com caução de cheques pré-datados, duplicatas ou notas promissórias. As taxas são, geralmente, maiores que das modalidades anteriores.


Fonte: Portal Sebrae

Deixe seu comentário:









Digite este número...

O que você achou desta matéria?

Vote e ajude-nos a melhorar.



Os seu e-mail e o seu CPF não serão exibidos nos comentários. Eles serão guardados em nossa base para podermos atender você, cada vez melhor!

Comentários (1)

-
(41) estou encontrando dificuldade para emitir boletos nas vendas a prazo,comecei com a minha marca de café os supermercados só compram a prazo,fui na caixa econômica,tenho conta poupança mais de dois anos,informaram que não dá para fazer boleto,tenho que movimentar 12 meses a conta ,o mesmo aconteceu no Santander 06 meses de conta. não é para emprestar dinheiro somente para eu emitir boletos da minha firma para os futuros clientes.. Eu tenho uma restrição interna no Banco do Brasil quando há negociação de divida sai descontos especiais ,no banco continua sujo o CPF. Como devo fazer para poder emitir boleto para cobrança bancaria . Podem me dar uma sugestão.

Boletins especiais