Histórico

Mais votados

Cadastre-se

Preencha os campos abaixo para receber o Boletim do Empreendedor gratuitamente:


Inovadores têm crédito

Edição: 07/2010

Há dois anos, depois de criar osso injetável e um composto que acelera em seis vezes o crescimento de partes do esqueleto, o cientista Walter Israel Cabrera, da Universidade de São Paulo (USP), resolveu montar sua própria empresa, a Bioactive. Sem acesso a crédito, no entanto, até pouco tempo atrás o pesquisador tirava do próprio bolso R$ 4 mil por mês para manutenção do negócio, que conta com o apoio da incubadora Cietec, de São Paulo.

Histórias como essa começam a mudar. A Bioactive é uma das 1.800 selecionadas na rodada inicial do Prime - Primeira Empresa Inovadora, da Finep, que vai repassar R$ 120 mil não reembolsáveis, para cada aprovado, a partir deste mês. Com o dinheiro, Cabrera poderá obter registros e adequar o laboratório às normas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). “Devemos faturar R$ 350 mil por mês quando começarmos a vender os produtos”, diz.

Cabrera se beneficiou de uma tendência que está ganhando força no Brasil: a incorporação de ativos intangíveis, ou seja, de potencial inovador, e de negócios como parte dos valores de que a empresa dispõe para obtenção de recursos. “Essa já é uma realidade no exterior”, explica a superintendente de Subvenção e Cooperação da Finep, Gina Paladino. O próprio Prime é um exemplo de que a inovação não passa apenas pelas empresas, mas também pelos financiamentos. O programa conta com R$ 1,3 bilhão e deve favorecer cinco mil negócios.

Com o mesmo objetivo, o BNDES se prepara para mudar a metodologia de análise e incluir ideias como garantia de crédito. O sistema já está em teste na instituição, mas sem data para a estreia oficial. “O peso dos ativos intangíveis pode chegar a 50% das exigências para crédito”, explica o gerente do Departamento de Risco e Crédito do banco, Adriano Dias Mendes.


PELO MUNDO
Ideias que podem servir de inspiração

JAPÃO - Em Tóquio, o brechó Pass The Baton (www.pass-the-baton.com) explora a história dos objetos para vender mais. Os itens vêm com foto e uma biografia do antigo dono.




FRANÇA - Em Paris, as crianças nem precisam esperar pelo Natal para ter brinquedos novos. É só alugá-los na loja virtual Dim Dom (www.dimdom.fr). Quatro itens custam 19,95 euros por mês.



Fonte: http://revistapegn.globo.com/Revista/Common/0,,EMI102898-17153,00-INOVADORES+TEM+CREDITO.html (PEGN)

Deixe seu comentário:









Digite este número...

O que você achou desta matéria?

Vote e ajude-nos a melhorar.



Os seu e-mail e o seu CPF não serão exibidos nos comentários. Eles serão guardados em nossa base para podermos atender você, cada vez melhor!

Comentários (4)

-
Tenho idéias de melhorar meu negócio mas tenho encontrado muita dificuldade no financiamento
-
Gostei muito da ideia parabems como faço para inovar tambem
-
Boa Tarde! como posso ter acesso a este beneficio, para um projeto de educaçaõ ambiental. obrigada Fatima.
-
Possuo um produto alemão, do qual represento no BRasil que diminui a contaminação de água e elimina necessidade de tratamento de efluentes indistriais utilizada em todas empresas metalúrgicas no Brasil. O problema é que meus potenciais clientes não vêem necessidade de comprar os equipamentos por que nada os obriga adquirir estes produtos. Como devo proceder? O IBAMA ou outro órgão competente deve saber da existência destes equipamentos para melhorar a qualidade da água. Peço sua ajuda e orientação com que devo apresentar estes equipamentos. Cordialmente Roberto Koch www.inaplus.com.br

Boletins especiais