Histórico

Mais votados

Cadastre-se

Preencha os campos abaixo para receber o Boletim do Empreendedor gratuitamente:


Inovação: muito mais do que a forminha da vovó

Edição: 08/2011

O desejo de empreender é algo que me acompanha desde o inicio da faculdade, e foi por meados de julho de 2009 que este desejo parou de ser apenas desejo e deu origem ao escritório Capital Prime, o qual sou sócio hoje, voltado para prestação de serviços de consultoria e assessoria contábil/tributária.

A primeira pergunta que eu e meus sócios fizemos ao abrir nosso escritório foi: qual serviço oferecer? De que forma oferecer? Para quem oferecer? E foi a partir dessas e outras várias perguntas que um determinado assunto passou a ser parte de integrante de nossas reuniões semanais: INOVAÇÃO.

A inovação é, e sempre será, algo que me intriga, primeiramente por não se tratar de um procedimento no qual colocamos dados na “forminha da vovó” e pronto: temos um produto novo, o mercado gosta e ganha-se muito dinheiro com isso. Trata-se de um trabalho árduo de análise, acompanhamento de mercado, tendências e, claro, muita sensibilidade pra saber pra qual lado a “onda” vai.




Vovó acertando na forminha

O interessante é que, embora a inovação estivesse presente em nossas conversas, notamos que a única coisa que não tinhamos era um produto inovador. Dificil, mas era a pura verdade. Basicamente vendíamos como produto inovar em nossos conhecimentos de especialistas na área tributária e contábil – mas isso já não era nosso dever? O que tem de inovador em fazer bem o que as pessoas já esperam que você saiba fazer?

Dessa forma, nos colocamos do “outro lado da mesa” e como clientes pensamos: O que é importante pra mim? Tempo, custo, mobilidade e método de trabalho. Demoramos alguns dias pra responder essas perguntas e o que saiu foi:

1- Precisávamos de uma metodologia “transparente” para gerenciamento dos trabalhos de consultoria, de forma que trouxesse nosso cliente para mais perto do projeto. Adotamos SCRUM (veja mais);

2- Perdia-se muito tempo com deslocamento do escritório para o cliente para realização de reuniões rápidas. Passamos a utilizar Skype ou qualquer outro tipo de recurso da mesma natureza;

3- Os trabalhos de assessoria não deveriam ser desenvolvidos de maneira padrão, pois dessa forma trabalhamos a contabilidade em função das necessidades de cada empresa; 

4- Para facilitar o trâmite de documentos utilizamos Subversion (muito utilizado no desenvolvimento de software) para controlar via web o envio e recebimento desses dados.
Observe, nós não criamos nada! Somente adaptamos coisas que já existiam e trouxemos para nossa realidade. O que isso gerou? Mobilidade, redução de custos e transparência nos negócios, gerando satisfação aos clientes. E como dizia minha mãe: “cliente satisfeito, negócio perfeito!”

Só gostaria de compartilhar essa experiência e dizer que inovação é muito mais do que lemos em livros ou artigos, é mudar conceitos, quebrar paradigmas e provar que tudo pode ser feito de uma maneira diferente, só precisamos explorar.
 
Cristiano Freitas
Fonte: http://www.saiadolugar.com.br

Deixe seu comentário:









Digite este número...

O que você achou desta matéria?

Vote e ajude-nos a melhorar.



Os seu e-mail e o seu CPF não serão exibidos nos comentários. Eles serão guardados em nossa base para podermos atender você, cada vez melhor!

Boletins especiais