Histórico

Mais votados

Cadastre-se

Preencha os campos abaixo para receber o Boletim do Empreendedor gratuitamente:


Profissionais 'agradáveis' ganham menos

Edição: 09/2011

Um estudo norte-americano revela que profissionais não tão agradáveis ganham 18% mais do que os considerados bonzinhos. No caso das mulheres, as “rudes” ganham 5% a mais que as colegas de trabalho agradáveis.

O que pode ser definido como um profissional agradável? Aquele que é simpático, gentil e cooperativo. Essas características são valorizadas em situações em que pede se para escolher alguém para conviver. Mas de acordo com o estudo “Do Nice Guys—and Gals—Really Finish Last? The Joint Effects of Sex and Agreeableness on Income” dos professores Timothy A. Judge da Universidade de Notre Dame do estado de Chiago, Beth Livingston da Universidade de Cornell do estado de Nova Iorque e Charlice Hurst da Universidade of Western Ontario do Canadá, a agradabilidade não tem o mesmo prestígio no local de trabalho.

Os resultados foram obtidos de dados coletados por mais de 20 anos com base em três pesquisas diferentes. Cerca de 10 mil trabalhadores de diversas profissões com idades e salários variados foram ouvidos. A primeira pesquisa indicou a relação entre a diferença de salários entre homens e mulheres de acordo com o nível de amabilidade do profissional.

Depois, os professores realizaram um estudo experimental com 460 estudantes de negócios que produziu evidências para o argumento da pesquisa. Os estudantes foram pedidos para atuarem como gestores de recursos humanos em uma empresa fictícia. Foi apresentada para eles uma breve descrição de candidatos para uma vaga de consultor. Homens descritos como altamente agradáveis foram menos propensos a conseguir a vaga.

De acordo com os pesquisadores um homem agradável pode não estar de acordo com as expectativas do comportamento masculino e pode até ser mais difícil de afirmar-se em situações como, por exemplo, negociações salariais.

Fonte: www.exame.com.br

Deixe seu comentário:









Digite este número...

O que você achou desta matéria?

Vote e ajude-nos a melhorar.



Os seu e-mail e o seu CPF não serão exibidos nos comentários. Eles serão guardados em nossa base para podermos atender você, cada vez melhor!

Comentários (7)

-
Olá Erick e José. O ideal mesmo é o caminho do equilíbrio. O funcionário mau humorado e rude, muitas vezes tende a criar um clima organizacional ruim. No entanto, o bonzinho e agradável, pode dar a entender que tudo está bem e que não há necessidade de mudanças ou melhorias.
-
A inversão de valores é incrivelmente injusta. O profissional reclamão e pressionador ganha melhor e tem mais reconhecimento do que aquele que se dedica aos interesses da empresa antes de seus próprios. Melhor se conformar ou tentar virar um grosso dentro da empresa?
-
Realmente é o que acontece em muitas empresas e onde trabalho também. Eu sou um funcionário que sempre vesti a camisa da empresa e até hoje não tive um reconhecimento. Tenho um salário bom, mas para todas as funções que desempenho não recebo de acordo. O maior problema é que sou "bom demais para os outros" e acabo não reclamando.
-
Realmente é o que acontece em muitas empresas e onde trabalho também. Eu sou um funcionário que sempre vesti a camisa da empresa e até hoje não tive um reconhecimento. Tenho um salário bom, mas para todas as funções que desempenho não recebo de acordo. O maior problema é que sou "bom demais para os outros" e acabo não reclamando.
-
Realmente é o que acontece em muitas empresas e onde trabalho também. Eu sou um funcionário que sempre vesti a camisa da empresa e até hoje não tive um reconhecimento. Tenho um salário bom, mas para todas as funções que desempenho não recebo de acordo. O maior problema é que sou "bom demais para os outros" e acabo não reclamando.
-
Olá Jorge, Obrigado pelo comentário. Abraço e sucesso!
-
sou do tipo bonzinho ja tinha notado isto a muito tempo

Boletins especiais