Histórico

Mais votados

Cadastre-se

Preencha os campos abaixo para receber o Boletim do Empreendedor gratuitamente:


Quantos amigos a sua empresa tem?

Edição: 10/2017

Networking
Rede de amigos é opção para negócios

Manter rede social é cada vez mais importante para quem quer crescer profissionalmente; regra vale para empresários de pequenas empresas

Da Redação

“A melhor maneira de viver é fazer amigos.” A máxima citada pelo consultor, bacharel em Administração de Empresas e pós-graduado em Marketing e Propaganda, Claudio Diogo, especializado em vendas, não é lembrada por acaso quando o assunto é marketing pessoal.

Com experiência no assunto e pesquisas constantes que o embasam ainda mais para falar sobre o tema, Claudio Diogo afirma que existe uma proximidade muito grande entre as redes de relacionamento e as oportunidades de negócios. Tanto que essa relação tem nome, é tema de estudo, palestras e workshops e a cada dia está sendo mais valorizada por empresários de diversos setores. Trata-se do networking, que em inglês significa net = rede + working = trabalhando, ou, para resumir, a possibilidade de fazer negócios e se colocar profissionalmente por meio da rede de amigos.

Para quem ainda dúvida que as duas questões - trabalho e rede de relacionamentos pessoais - estão intrinsecamente ligadas, o consultor Claudio Diogo cita uma pesquisa que fez recentemente com 200 executivos de sete capitais brasileiras. O resultado revelou que 76% dos empresários procuram fornecedores na sua rede de amigos, 78% preferem e confiam em fornecedores que tenham uma relação de amizade e 68% sempre trocam informações de negócios no seu meio de amizade.

A pesquisa mostrou ainda que os executivos acham natural que isso aconteça e não veem problemas em usar o networking para selecionar fornecedores.

Segundo Claudio Diogo, que já ministrou mais de mil palestras no Brasil, Europa, África e América Latina para centenas de profissionais, a pesquisa é uma mostra de que cada vez mais empresários e executivos lançam mão da sua rede pessoal para concretizar negócios e essa é uma questão que deve ser levada em conta por quem está de olho no crescimento e expansão do próprio negócio.

Claudio Diogo dá algumas dicas (leia mais nesta reportagem)para melhorar e expandir o networking, válidas para os empresários de micro e pequenas empresas, mas diz que os interessados não devem esquecer da individualidade dos outros. Para ele, é preciso prestar atenção no que as pessoas falam e ficar atento às oportunidades, mas sempre respeitando os limites de atuação.

Traçar metas também é importante. Para ampliar o próprionetworking, por exemplo, Claudio Diogo tem um objetivo diário: precisa distribuir pelo menos dois cartões de visita. A prática fez com que esteja sempre atento ao círculo de relacionamentos, o que faz uma pergunta ser inevitável: quando termina o networking e começa a vida pessoal? Para Claudio Diogo, quem está focado nos negócios e no crescimento, não separa uma coisa da outra. “Isso só é um problema se você não gosta da sua atividade profissional”, assinala.

Rede de relacionamentos

A arquiteta Cristhiane Negri, de Londrina, norte do Estado, sabe bem como a questão do networking pode atravessar o lado pessoal, mas também render bons negócios. Ela conta que certa vez estava jantando em um restaurante quando foi abordada por uma pessoa que a conhecia de vista e sabia que ela fazia um trabalho de administração de condomínios. “A consulta começou no próprio restaurante, trocamos cartões e depois ainda fui procurada para dar mais informações sobre o assunto”, conta a arquiteta, categórica ao afirmar que não se importa com esse tipo de intervenção. Pelo contrário.

Para ela, as relações feitas fora do ambiente do trabalho podem ajudar a fechar negócios futuramente, principalmente no ramo que ela escolheu atuar. Arquiteta por formação, ela fez pós-graduação em Administração e Marketing pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Há 12 anos, foi em uma reunião com o pai, que administra imóveis próprios, e saiu como síndica do edifício. Percebeu na atividade um grande potencial de mercado e logo passou a se dedicar integralmente à administração de imóveis comerciais, não apenas como síndica, mas prestando assessoria para proprietários na hora de negociar questões relacionadas à administração de condomínios.

O trabalho faz com que Cristhiane precise se relacionar muito bem com as pessoas e com os clientes, já que a divulgação “boca a boca” é sua principal aliada. Assim, fazer um trabalho satisfatório é a principal garantia de ter o trabalho divulgado e, principalmente, de angariar mais clientes. “E em qualquer lugar você pode encontrar um cliente em potencial. Se você fala o que faz e vende seu trabalho de uma forma agradável, certamente as pessoas vão lembrar de você quando precisarem”, ensina.

Fazer o bem

Uma boa rede de relacionamento é um dos ingredientes de sucesso para o trabalho da empresária Kimiko Yoshi. Ela construiu, também em Londrina, uma rede social de pessoas que tem um objetivo em comum: fazer o bem. O dom de agregar pessoas em torno de um só objetivo pode ser considerado parte da personalidade curiosa e obstinada de Kimiko. Formada em Letras, ela fez pós-graduação em Literatura. Posteriormente formou-se em Direito. Exerceu a função de juíza e só depois decidiu investir na carreira de empresária do ramo de construção civil, ao lado do marido.

Mas tanta experiência em outras áreas fez com que Kimiko valorizasse ainda mais as relações humanas. “A beleza da vida está justamente em atuar em áreas diferentes, que abrem o seu horizonte”, diz a empresária, que confessa: “Eu tenho uma mente inquieta. Quero aprender sempre”. Com MBA em Marketing Empresarial e outro em Marketing Executivo e com uma rede de relacionamentos que varia entre os mais diversos profissionais, Kimiko soube lançar mão dessa rede para angariar colaboradores para seus projetos sociais. Ela é fundadora do Instituto Atsushi e Kimiko Yoshii, que atende centenas de crianças, adolescentes e idosos carentes de Londrina.

“Sempre trabalhei com a filantropia, minha família sempre teve preocupação no bem-estar da comunidade”, conta Kimiko. Uma preocupação que atravessa gerações e que agora, graças à experiência da empresária em diferentes áreas acadêmicas, está sendo conduzida de forma profissional. Educação, aliás, está entre os valores mais altos de Kimiko. “A educação é a alavanca que leva à promoção pessoal”, salienta. Por isso, atividades educacionais estão entre os pilares do Instituto, que também promove atividades culturais e de esporte.

Para conseguir colaborações para os projetos, Kimiko lança mão da sua rede de negócios, mas salienta que é preciso fazer um trabalho sério e constante para conquistar a credibilidade. “E quando você faz isso, as próprias pessoas também começam a te procurar para oferecer ajuda”, diz. Para ela, é preciso sim ter uma rede consolidada de relações pessoais, conquistar novos amigos, mas principalmente focar em uma questão importante: “Sempre fazer as coisas em prol de um objetivo em comum, levando em conta o benefício da comunidade e nunca a promoção pessoal. Todos nós podemos ser agentes transformadores”. (Texto elaborado pela jornalista Katia Michelle Bezerra para a nona edição da Revista Soluções)

Sete passos

De acordo com o consultor Claudio Diogo, seguindo sete passos básicos é possível criar uma boa rede de relacionamentos. Confira:

1. Faça um banco de dados completo e separe por tipos de relacionamento. Exemplo: empresa, amigos, imprensa, dentre outros. Atualize esse banco diariamente;

2. Trace um objetivo diferente para cada grupo da sua rede;

3. Amplie seus relacionamentos. Participe de palestras, cursos e encontros que não necessariamente tenham a ver com a sua profissão. Participe de comunidades de interesse profissional. As redes sociais da internet facilitam esse contato, não custam nada e fazem você aparecer;

4. Esteja sempre preparado. Ande bem vestido e tenha cartões de visita sempre a mão;

5.
Em qualquer negócio que vá realizar, tenha sempre em mente uma coisa, ou seja, conselho, orientação, informação, sugestão e aproximação. Primeiro peça um conselho, isso valoriza a relação que está por acontecer, peça uma orientação e mostre que também está bem informado sobre o assunto. Dê uma sugestão e, finalmente, promova a aproximação. Dê o seu celular, por exemplo;

6.
Presenteie e dedique brindes personalizados com quem quer manter relações profissionais. Dê presentes de pós-encontros. Isso faz com que a pessoa se sinta valorizada e lembre de você posteriormente;

7.
Defina metas diárias de contato. Entregue cartões diariamente, de cada 50 cartões distribuídos, pelo menos um vai te ajudar a concretizar um bom negócio.

Saiba mais sobre o tema. Acesse www.tekoare.com.br. Leia também “Networking - Saiba como construir as melhores redes de relacionamentos”, de Michael Dulworth. Editora Larousse.

Fonte: Sebrae/PR


Deixe seu comentário:









Digite este número...

O que você achou desta matéria?

Vote e ajude-nos a melhorar.



Os seu e-mail e o seu CPF não serão exibidos nos comentários. Eles serão guardados em nossa base para podermos atender você, cada vez melhor!

Comentários (1)

-
(41) Muito boa dica. Vou seguir. Obrigado. Att, João Carlos

Boletins especiais