Histórico

Mais votados

Cadastre-se

Preencha os campos abaixo para receber o Boletim do Empreendedor gratuitamente:


Como educar um filho empreendedor

Edição: 12/2011



As competências empreendedoras não são inatas, podem ser desenvolvidas ao longo da nossa vida. Porém, embora algumas dessas competências possam ser aprendidas em cursos e experiências, outras são tipicamente formadas na infância. Não estou falando aqui da clássica imagem da criança que ganha uns trocados vendendo limonada na porta de casa, um ícone tipicamente americano.

A maioria das características empreendedoras não diz respeito a negócios e sim a comportamentos típicos de quem detém este perfil, e as escolas não estão preparadas para desenvolvê-las. A seguir, dou algumas dicas de como despertar o lado empreendedor nas suas crianças, sejam filhos, alunos, sobrinhos ou netos, por meio de atividades simples, criativas, diferentes e que podem ser envolventes e ricas:

- Para despertar o interesse pela novidade:
Vá com as crianças a um supermercado e diga que eles podem experimentar qualquer coisa que nunca tinham provado antes. Cada um pode trazer uma coisa diferente para colocar no carrinho. Eles se divertem pelas gôndolas e trazem guloseimas com novos sabores. Nesta fase eles tomam gosto pela experimentação. O preço deste aprendizado é que eles vão experimentar algumas coisas e não vão gostar, levando a um desperdício de dinheiro, pois jogam tudo fora. Depois que eles gostarem da brincadeira é a vez de colocar uma regra a mais. Agora eles não podem mais jogar fora o que compraram. Se não gostaram, têm de comer até o fim ou a brincadeira para. Eles até reclamam na hora de engolir, mas não querem parar de brincar, já virou um passatempo que quebra a chatice de ir ao supermercado. Assim, aprendem a ser mais criteriosos na hora da escolha. Leem o rótulo, pensam e aprendem a usar a informação para reduzir o risco da escolha errada, e assim acabam criando o hábito de experimentar o diferente. Mas, lembre-se, você não pode começar a brincadeira já colocando a penalidade ou eles não entram no jogo. Primeiro eles têm que gostar da brincadeira.

- Para identificar oportunidades:
A melhor forma de aprender a identificar oportunidades é prestando atenção às coisas ao seu redor. Boas oportunidades estão em todo lugar e acontecem a qualquer momento. A maioria não percebe porque não está atenta. Para ajudar as crianças a ficarem mais atentas a brincadeira consiste em fazer perguntas sobre percepção do ambiente. Ótimo para passar o tempo em locais públicos como restaurantes ou filas de espera. Encontre um detalhe do ambiente e desafie-os a encontrar, coisas simples do tipo ‘onde tem uma vela’, ‘onde está escrito ‘fumar’’ ou ‘encontre uma criança com cabelos encaracolados’. Com o tempo, eles se acostumam a entrar em qualquer ambiente e logo prestar atenção em todos os detalhes. Uma variável desta brincadeira, em ambientes que eles já conhecem bem como a sua casa, é separá-los, mudar algum detalhe de lugar e chamá-los de volta, desafiando-os a descobrir o que você mudou.

- Para avaliar riscos:
Pais são normalmente avessos à exposição dos filhos a qualquer tipo de risco. Professores e babás são menos tolerantes ainda, pois são responsáveis pela segurança das crianças. Isso faz com que involuntariamente criemos nossas crianças em ‘bolhas de segurança’ que não permitem que elas vivam algumas experiências enriquecedoras. Correr um risco, desde que moderado, avaliado e controlado, sempre traz um aprendizado. O importante aqui é que os pais se perguntem: ‘Se algo der errado, o aprendizado decorrente do erro vai compensar o prejuízo?’ Em muitas situações você pode expô-los a um risco no qual eles sentem a adrenalina, mas você tem o controle. Uma vez, levando eles para a escola, eu falei que iria dirigir seguindo as orientações deles. Eles é que iriam dizer em qual rua virar e qual caminho seguir para chegar à escola. No começo eles adoraram ter o controle da situação, mas acabamos nos perdendo e eles ficaram muito nervosos. Claro que eu sabia o caminho certo e acabei chegando a tempo na escola, mas eles nunca se esqueceram da experiência. Tentamos mais três vezes depois, mas só na quarta eles acertaram o caminho. E celebraram muito!

- Para quebrar regras:
Esta é a mais difícil e não pode ser aplicada em qualquer idade. No começo eles precisam entender por que existem regras e como elas nos ajudam a viver de forma civilizada e ordenada. Porém, depois que isso é assimilado, eles precisam entender que existe um mundo fora do quadrado e que nem todas as regras fazem sentido ou são necessárias. O importante é não desrespeitar as leis ou os princípios éticos. Fora isso, se algo não faz sentido, pode e deve ser questionado. Na fase da adolescência se pode dar vazão ao espírito rebelde que se instala entre eles, dando foco e atenção aos seus questionamentos. Uma brincadeira que faço com eles é, durante uma conversa sobre um determinado assunto de interesse deles, antecipar que vou falar uma grande besteira, mas eles não vão saber qual nem quando vou falar. Continuamos a conversa e, no final, eu pergunto qual foi a grande besteira que eu falei. Eles devem adivinhar e geralmente acertam. Com o tempo eu começo a praticar isso sem avisar antes e só falo depois que eu falei uma besteira. Se eles aprenderam a prestar atenção, vão identificar logo. Com isso vão alimentando o seu espírito crítico, não aceitando mais passivamente tudo o que ouvem ou leem. Hoje, mesmo que eu não fale nenhuma besteira, eles duvidam de algumas coisas que falo, e até conseguem me provar que eu falei uma coisa errada mesmo! Este é o lado ruim da história. Ruim para nós, mas ótimo para a vida deles.

- Para ser criativo:
Criatividade é o alimento da inovação. Somos tão condicionados a buscar a concordância e a aceitação pública que acabamos nos esquecendo do que nos torna diferentes e únicos. Todos querem ser iguais e os diferentes são discriminados por não se encaixarem nos padrões de ‘conformidade’ impostos pela sociedade. Existem várias brincadeiras para estimular a criatividade e elas são mais efetivas quanto mais jovens forem as crianças, pois menos amarras possuem ainda. Uma que gostava de fazer quando eles eram pequenos era o passatempo preferido nas viagens de carro. Um de nós conta uma história e, no meio dela, interrompemos para que o outro continue e dê um novo rumo. Assim, vamos nos alternando, passando de uma para outra, até que alguém a termine e é claro que ela termina totalmente diferente de como foi iniciada. Outra coisa que eles se divertiam era pegar histórias conhecidas e invertê-las totalmente, dando novas características aos personagens, mudando o roteiro ou imaginando novos finais inusitados e divertidos.

- Para exercitar a autonomia:
Muitas vezes achamos que nossos filhos não estão maduros o suficiente para assumir algumas responsabilidades. Puro preconceito nosso, eles são mais espertos do que imaginamos. Assumir a responsabilidade de alguma coisa é importantíssimo para a formação deles. O exemplo clássico é ter um animal de estimação. O bichinho vai morrer se ele não cuidar, mas a responsabilidade acaba sendo tão grande que, no final das contas, nós é que acabamos alimentando e cuidando. Entre uns 10 e 12 anos, uma brincadeira simples é dar a eles a liberdade de programarem o que fazer em família no domingo. A liberdade é total e os pais vão cumprir tudo o que eles definirem. Eles ficam muito entusiasmados e no começo acabam se excedendo, ou com muitas atividades, ou com coisas que nem todos vão curtir. Com o tempo, eles vão aprendendo a escolher melhor as atividades, a se planejar para tudo dar certo, a ouvir o que as pessoas querem e a arcar com as conseqüências quando não acontece o que eles previram. O exercício da liberdade é uma droga viciante, e, uma vez experimentada, não se pode mais viver sem ela. Por isso, o aprendizado seguinte é exercer a liberdade, mas com responsabilidade.

- Para ter iniciativa:
As crianças têm iniciativas natural e espontaneamente. Tudo o que precisamos fazer é apoiá-las e incentivá-las. Podem ser coisas simples, como começar um blog ou receber os amigos para assistir um filme. Podem ser coisas maiores, como organizar um mutirão de ação social ou montar uma banda. O importante é sempre dar o primeiro passo, pois a empolgação cresce na mesma medida que o envolvimento na atividade. Não critique e nem reprima, pelo menos no começo. Se algo pode dar errado, alerte, aconselhe, mas não insista. Se for alguma coisa que não vá gerar muito impacto e pode ser contornado, deixe acontecer e dar errado, até estas experiências são válidas e úteis para o aprendizado. Pesquisas indicam que os pais exercem grande influência na formação de algumas características empreendedoras. Um vídeo que retrata bem isso é vendido pela Siamar e se chama ‘Lemonade Stories’. Produzido pelo Babson College, conta a história de 7 empreendedores como Richard Branson (Grupo Virgin) e Arthur Blank (Home Depot) e como suas mães os influenciaram.

Como podem ver, há várias coisas que podemos fazer com as crianças. Algumas podem dar trabalho, mas é recompensador ver os resultados, ver como eles crescem espertos, ativos, maduros. Sempre que possível, tente dar um aspecto lúdico à atividade, uma brincadeira, um jogo, um desafio. Vai ser mais divertido e eles se envolvem mais. Tome um cuidado especial em não forçar a barra. Apesar de alguns aprendizados requererem um esforço não natural, somos diferentes uns dos outros. Se uma pessoa é naturalmente tímida e introvertida, não a force a se expor em público, o tiro pode sair pela culatra. Alguns comportamentos são condicionados e podem ser modificados, mas traços de personalidade não.

Eu mesmo procuro praticar isso o tempo todo com meus três filhos. Não sei se eles vão montar seu próprio negócio no futuro, mas tenho certeza de que estarão mais bem preparados para enfrentar o mundo do que muito de seus amiguinhos.

Fonte: Marcos Hashimoto / epocanegocios.globo.com

Deixe seu comentário:









Digite este número...

O que você achou desta matéria?

Vote e ajude-nos a melhorar.



Os seu e-mail e o seu CPF não serão exibidos nos comentários. Eles serão guardados em nossa base para podermos atender você, cada vez melhor!

Comentários (29)

-
Muito interessante, porém não tão simples, educa´-los para serem empreendedores. 6053565
-
Boa Tarde,

Eliane o SEBRAE agradece o seu comentário

Tenha uma ótima tarde

Abraços e Sucesso!
-
A matéria é para todos nós educadores como profissão ou na vida diária nós mesmo, netos,filhos mesmo que já adultos aprecio muito textos educativos obrigada.Célia
-
Boa Tarde,


Célia o SEBRAE agradece o seu comentário

Tenha uma ótima tarde

Abraços e Sucesso!
-
TEXTO MARAVILHOSO PARABENS. GOSTARIA DE DICAS DESTE NIVEL PARA NOSSOS FILHOS MAIORES DE 15 ANOS. SERA POSSIVEL INSERIR NOVOS CONCEITOS NUMA FASE QUASE ADULTA DOS NOSSOS FILHOS?
-
Boa Tarde,

Sonia o SEBRAE agradece o seu comentario

Tenha uma ótima tarde


Abraços e Sucesso
-
Mais matérias com este tema são sempre bem vindas.
-
Boa Tarde,

Eliana o SEBRAE/PR agradece o seu comentário

tenha uma ótima tarde

Abraços e Sucesso!
-
Gostei muito da matéria. Incentivar a criança a ter responsabilidade, iniciativa, percepção das coisas é ótimo, com certeza vão se tornar adultos mais observadores, respeitosos. Meu filho tem 7 anos e com as dicas da matéria vou motivá-lo ainda mais.
-
A materia é muito interessante e traz uma positividade muito grande para o dia a dia. Posso relatar que pequenas coisas que aconteceram comigo e o meu filho. Quando meu filho era pequeno, estimulava a ele trocar figurinhas de álbum e quando a figurinha era muito difícil orientava a ele trocar por quatro figurinhas que faltavam para ele. Outra experiência que lembro, foi quando por iniciativa dele mesmo, pegava as moedas de 1 real e quando saía as novas moedas ele trocava uma por 2 moedas de real. hoje ele tem 22 anos de idade, trabalha no mercado financeiro e esta muito bem. abraços a todos e sempre felizes.
-
Boa Tarde,

Cidney o SEBRAE/PR agradece o seu comentario

tenha uma ótima tarde!

Abraços e Sucesso
-
Dicas maravilhosas. Texto fantástico!
-
Boa Tarde, 

Ruth o SEBRAE/PR agradece o seu comentario

tenha uma ótima tarde!

Abraços e Sucesso
-
Parabéns pela reportagem. Tenho um filho de 16 anos e vejo que na fase adolescente parece ficar tudo que ensinamos até ali amortecido, pois agora existem outros interesses. Gostaria de um texto sobre como incentivar o filho adolescente a estudar e pensar no que quer ser. Abraços
-
Boa Tarde,

Fatima o SEBRAE/PR agradece o seu comentario

tenha uma ótima tarde!

Abraços e Sucesso
-
Realmente esta educação é fundamental. As crianças precisam, desde pequenas, conhecer os dois lados da moeda. O lado empreendedor e o lado profissional CLT. Assim poderão escolher que caminho seguir. A maioria dos brasileiros sempre foi educada para estudar, trabalhar se aposentar. Nos últimos 10 anos esta estatística vem se alterando e as novas gerações já descobriram o gostinho de ser dono do seu próprio negócio. Eu e minha esposa fomos educados para trabalhar e há 5 anos resolvemos empreender, começamos pequenos, em casa e hoje já temos uma base com a nossa empresa Mais Mimos (http://www.maismimos.com.br). Agora estamos trabalhando para observar o momento correto de largar o emprego e se dedicar ao negócio. Um sonho que está próximo de acontecer.
-
Boa Tarde,

Fabiano o SEBRAE /PR agrdece o seu comentario

Tenha uma ótima tarde!

Abraços e Sucesso
-
gostei da sdicas e vou tentar fazer com meus filhos e confesso que nunca pensei nisso. obrigado pela dica.
-
Boa Tarde,

Marcos Luis o SEBRAE/PR agradece o seu comentário.

Tenha uma ótima tarde!

Abraços e Sucesso
-
Achei muito interessante a maneira como é feita para despertar o interesse dos filhos por alguma atividade, isso tambem ensina os pais a interagir com seus filhos saindo da rotina e aprendendo com eles e sobre eles, pois nossos filhos são novos seres que ocuparão um lugar na sociedade e precisam estar bem preparados e isso não se faz só na escola, se faz principalmente interagindo em familia, acho que desa maneira eles serao mais seguros paa enfrenta o que a vida lhes reserva. Muito bom.
-
Boa Tarde, 

Paulo Michel o SEBRAE/PR agradece o seu comentário

tenha uma ótima tarde!

Abraços e Sucesso


-
parabéns a matéria está surpreendente.
-
Boa Tarde, 

Edilma o SEBRAE/PR agradece o seu comentário

tenha uma ótima tarde!

Abraços e Sucesso

-
Muito bom! Acredito que podemos ajudar nossos filhos sim e essa suas dicas sao otimas. Parabens.e 5 estrelas ta
-

Boa Tarde,

Lucy o SEBRAE/PR agradece o seu comentário

tenha uma ótima tarde!

Abraços e Sucesso


 

-
Tenho uma filha de 2 anos e minha maior preocupação é como educá-la para a vida sem deixar que ela viva numa bolha de vidro. É um grande desafio e essa matéria deu muitas dicas boas que com certeza eu vou usá-las. Obrigada!
-
Tenho uma filha de 2 anos e minha maior preocupação é como educá-la para a vida sem deixar que ela viva numa bolha de vidro. É um grande desafio e essa matéria deu muitas dicas boas que com certeza eu vou usá-las. Obrigada!
-
Boa Tarde, 

Renata o SEBRAE/PR agradece o seu comentário

tenha uma ótima tarde!

Abraços e Sucesso


-
A matéria é excelente e as dicas muito valiosas. Certamente vou aplicá-las com o meu filho, que está com sete anos e aos seis anos disse que queria ser líder. Fiquei surpresa com a sua colocação e já estamos trabalhando conceitos de liderança e também conversando sobre a importância de termos metas em nossas vidas, tudo de maneira lúdica para facilitar o entendimento. Aos sete anos ele disse que queria vender chup chup (sacolé) e disse que seria mais gostoso do que o da moça da outra rua (a concorrente) e traçamos então um pequeno esboço do seu plano de marketing, onde ele desenhou como ele faria para divulgar e vender os sacolés, quanto que custaria e onde seria o ponto de venda. Fiquei surpresa com a capacidade de entendimento dele para estes assuntos comerciais e do quanto podemos contribuir para a formação de grandes homens. Agradeço se vocês puderem compartilhar mais matérias sobre este tema.
-
Boa Tarde.

Celiane o SEBRAE/PR agradece o seu comentário.

Tenha uma ótima tarde

Abraços e Sucesso!
-
Excelente. Gostei muito deste artigo.
-
Boa Tarde. 

Vinicius o SEBRAE/PR agradece o seu comentário.

Tenha uma ótima tarde

Abraços e Sucesso!
-
Achei a matéria super interessante e com certeza vou fazer o teste com minha filha Vitoria de 10 anos. Obrigada.
-
Boa Tarde. 

Gislaine o SEBRAE/PR agradece o seu comentário.

Tenha uma ótima tarde

Abraços e Sucesso!
-
Ótimo artigo, vou tentar implantar algumas coisas lá em casa.
-
Boa Tarde. 

Fábio o SEBRAE/PR agradece o seu comentário.

Tenha uma ótima tarde

Abraços e Sucesso!
-
Fantástico. Certa vez ouvi uma frase;" ao invés de nos preocuparmos tanto em deixar um mundo melhor para nosso filhos, que tal deixarmos filhos melhores para o mundo?". Esse artigo vem ao encontro disso. Ao buscarmos o desenvolvimento de nossas crianças e jovens, estaremos fazendo toda a diferença. Parabéns!
-
Boa Tarde.

Ana Lúcia o SEBRAE/PR agradece o seu comentário.

Tenha uma ótima tarde

Abraços e Sucesso!
-
Eu sou meio suspeita em falar, pois acho todos ensinamentos(texto) conteúdo do Sebrae como uma escada de subida para o sucesso. não tira proveito quem nao deseja. NOTA 10.
-
Boa Tarde.

Andreia o SEBRAE/PR agradece o seu comentário.

Tenha uma ótima tarde

Abraços e Sucesso!
-
Sinto dificuldades em motivar meu filho a buscar conhecimento. As pessoas não têm noção de como isso é importante para a vida. Acho que esta matéria vai me ajudar um pouco. Se tiverem outras dicas, ficarei feliz em recebê-las.
-
Boa Tarde. 

André o SEBRAE/PR agradece o seu comentário.

Tenha uma ótima tarde

Abraços e Sucesso!


-
Sabe que meu filho de 6 anos me surpreende, ele gosta de ir ao supermercado, assim como eu. Como sou arte finalista de rótulos e etiquetas, gosto de ler tudo e ver as composições do conteúdo etiqueta, é claro o preço e qualidade também me atrai. Sempre procurei estimular meu filho ao consumo consciente e ele se tornou meu parceiro de compra. Observamos tudo! Ao final da compra, eu o recompenso com o que ele quiser. Desde que esteja no valor que determino a ele. Assim ele sai em busca daquilo que seja de agrado dele. Sabe que com ele aprendi observar mais detalhes, achei que nunca seria deliberado. Sinto-me uma criança aprendendo com ele, aquilo que eu já deveria saber ou acreditava saber... risos... As minhas outras duas filhas menores ainda esta gatinhando nesse mercado, mas acredito que eu, minha esposa e meu filho somos bastante observados por elas... e seguiram o mesmo caminho. Agradeço o texto, foi ótimo e recompensador estas novas idéias!
-
Boa Tarde. 

Marcio o SEBRAE/PR agradece o seu comentário.

Tenha uma ótima tarde

Abraços e Sucesso!


-
Muito interessante essa matéria
-
Boa Tarde, 

Odair o SEBRAE/PR agradece o seu comentário

tenha uma ótima tarde!

Abraços e Sucesso

-
MARAVILHOSA,vou praticar com minhas neta,elas são muito espertas e irão curtir muito. E serve para nós também,quantas vezes estamos em determinados lugares e achamos chato,se brincarmos de achar coisas,pode tornar mais agradável .Muitas vezes escolhemos o passeio sem consulta-las,vou deixa-las escolher o próximo passeio e organizar.Elas estudam no SESI,eles já trabalham assim com as crianças.
-
Boa Tarde, 

Lenilda o SEBRAE/PR agradece o seu comentário

tenha uma ótima tarde!

Abraços e Sucesso

-
De todos os boletins este foi o mais interessante, parece que uma pessoa bem próxima de nós está nos dando informações preciosas para toda vida. Tenho filhas pequenas elas adoraram as idéias. obrigada.
-
Boa Tarde, 

Vera o SEBRAE/PR agradece o seu comentário

tenha uma ótima tarde!

Abraços e Sucesso

-
PEQUENINOS NA INFANCIA E INOCENTES , E NO FUTURO GRANDES HOMENS SE COMECAR AGORA A EDUCAR ENSINANDO QUANTO VALE 1 REAL ...................................
-
Boa Tarde, 

Gilberto o SEBRAE/PR agradece o seu comentário

tenha uma ótima tarde!

Abraços e Sucesso

-
Muito Interesante e de pequeno que se começa a ver a vida valeu
-
Boa Tarde, 

Sergio o SEBRAE/PR agradece o seu comentário

tenha uma ótima tarde!

Abraços e Sucesso

-
concordo com tudo!
-
Ivone, maravilha! abraço e sucesso!

Boletins especiais