Histórico

Mais votados

Cadastre-se

Preencha os campos abaixo para receber o Boletim do Empreendedor gratuitamente:


Sites dão soluções coletivas e baratas para pequenas empresas

Edição: 05/2012

Bem-vindo à era das multidões. Graças à internet, todo e qualquer problema pode contar com o potencial de milhões de cérebros na elaboração da resposta. O nome desse fenômeno é "crowdsourcing". No Brasil, pequenas empresas começam a usar esse recurso para incrementar seus negócios gastando menos e lucrar com o apoio de clientes e parceiros.

Segundo Cláudio Oliveira, professor da Fundação Vanzolini e pesquisador do GTI (Grupo de Tecnologia) da Escola Politécnica da USP (Universidade de São Paulo), as pequenas empresas podem aproveitar esse modelo de produção coletiva de soluções de duas formas: como clientes e como fornecedoras.



Empresas que precisam de criação de logomarcas e identidade visual já contam com sites que concentram designers, por exemplo. Outro site interessante é o Crowdtest (Link: http://crowdtest.me/), pelo qual o empreendedor pode solicitar aos participantes que testem seu site ou aplicativo.

Em geral, as negociações realizadas nessas plataformas funcionam como numa concorrência e seguem os seguintes passos: o empreendedor expõe a demanda e determina o preço que pretende pagar; interessados enviam suas propostas dentro do orçamento; o empresário seleciona a mais adequada e contrata o serviço.

Já as que querem oferecer seus serviços e produtos a outras empresas também encontram plataformas. “Na página da 3M na internet, há uma área destinada ao crowdsourcing. Nesse espaço, a companhia lança desafios e dúvidas e os empreendedores podem postar suas propostas. Quem apresenta a melhor solução para o problema leva um prêmio.”

Empresas podem divulgar demandas pelas redes sociais

Há sites especializados nessas negociações. No entanto, Marina Miranda, diretora da Mutopo Brasil, consultoria especializada em "crowdsourcing", ressalta que as empresas podem também lançar suas demandas em redes sociais gratuitas, como Orkut, Facebook, You Tube, Twitter ou LinkedIn.

Com isso, em vez de contratar terceiros para solucionar questões, o empreendedor consulta a nuvem (crowd) e anuncia seu problema. Pessoas e empresas participantes dessa nuvem, normalmente já engajadas com a marca, surgem com as propostas.

“O pequeno empresário deve atribuir uma recompensa a quem apresentar a melhor solução. Esse prêmio pode ser em dinheiro, um brinde ou simplesmente o reconhecimento, como a citação daquela pessoa em seu site de forma diferenciada. Isso ajuda a motivar a colaboração.”

Preço e qualidade são vantagem das soluções coletivas

As vantagens são muitas. A pequena empresa pode comprar um trabalho por um preço que cabe no seu bolso e ainda obter não apenas um, mas vários resultados. A solução também tende a ser mais qualificada, porque o processo de interação dos interessados em dar uma resposta àquela questão é dinâmico.

Todos os participantes podem ter acesso às propostas dos demais. As soluções vão se afunilando e há mais chances de o resultado acertar em cheio a necessidade do empreendedor. Além do que só se paga pela melhor resposta e elimina-se boa parte das questões trabalhistas se comparado às contratações.

Nesse processo, um ponto fundamental é saber em qual plataforma o empreendedor deve postar sua questão. Se ele busca selecionar um colaborador, o ambiente mais apropriado são as redes de relacionamento profissional, como o LinkedIn.

Já se a intenção da consulta é testar um novo produto, o empresário pode filmá-lo em funcionamento e publicar um vídeo no YouTube. O local correto é aquele que concentra o maior número de pessoas capazes de dar uma resposta àquela pergunta.

Marina Miranda também chama a atenção para a segunda edição da Conferência Crowdsourcing Co-criação e Colaboração (link: http://conferenciacrowdsourcing.com.br/), a ser realizada na Fecomercio-SP (Federação do Comércio) em 2 e 3 de julho. “Teremos ótimas oportunidades para negócios de pequeno porte.”

Ela destaca o passo a passo que deve ser seguido pelos empreendedores ao lançarem um problema na internet. “Mas o mais importante é a mudança de mentalidade. Estar aberto à contribuição das massas.”


Passo a passo do crowdsourcing

1º) Problema
Capriche na construção da sua questão. Descreva seu negócio e a sua pergunta de forma detalhada

2º) Resultado
Exponha também aonde você quer chegar com a solução do seu problema. Isso facilita a elaboração das propostas

3º) Plataforma
Escolha o local mais apropriado para lançar sua dúvida ou desafio. Responda a pergunta: em qual comunidade se reúnem as pessoas que devem ter a resposta?

4º) Motivação
O que vai levar as pessoas a colaborarem com a solução do seu problema? Ofereça recompensas que vão agradar aos participantes.

5º) Interação
O dono ou pessoa por ele selecionada deve ficar incumbida de manter a interação com quem participa da solução do problema.

Fonte: economia.uol.com.br


Deixe seu comentário:









Digite este número...

O que você achou desta matéria?

Vote e ajude-nos a melhorar.



Os seu e-mail e o seu CPF não serão exibidos nos comentários. Eles serão guardados em nossa base para podermos atender você, cada vez melhor!

Comentários (2)

-
gostei
-
gostei

Boletins especiais