Histórico

Mais votados

Cadastre-se

Preencha os campos abaixo para receber o Boletim do Empreendedor gratuitamente:


Vender a sua empresa pode ser um bom negócio

Edição: 08/2012

A primeira ideia que passa pela cabeça de quem quer se tornar empreendedor é abrir uma empresa inovadora, com características nunca vistas antes ou mesmo uma franquia nova. O que poucas pessoas sabem é que, o ato de comprar uma empresa que já tenha um ponto comercial conhecido, clientela formada ou mesmo repasse de franquias vem ganhando mais espaço no mercado brasileiro.



De acordo com dados da Sunbelt Business Brokers, franquia de intermediação de negócios, 15% das empresas estão continuamente à venda nas cidades. Isso se deve a inúmeros fatores, como o favorável momento do mercado brasileiro, à crise econômica europeia e a dificuldade de se encontrar pontos comerciais prontos nos grandes centros. A tendência é que esse número aumente e muito nos próximos anos.

Por meio de metodologias e experiência de mercado de profissionais que localizam e avaliam este tipo de negócio, é possível avaliar a real situação de empresas durante momentos em que o negócio provavelmente quebraria, como cansaço de fazer a mesma coisa, doença, divórcios, desajustes entre sócios, etc.

Para Batista Gigliotti, franquado da Sunbelt para o Brasil, as vantagens de adquirir uma empresa já estabilizada são inúmeros para quem quer iniciar no universo do empreendedorismo. “Os benefícios de adquirir um negócio pronto, aberto, com uma carteira de clientes sólida e serviços ou produtos testados geram muita confiança ao novo empreendedor, pois, devido ao conhecimento da história do negócio, minimiza muito os riscos do investimento”.

Os benefícios da venda de um negócio já existente não são apenas favoráveis para quem compra. Ainda na visão do executivo, quem vende a empresa também tem vantagens. “Se para quem ingressa na área é vantajoso comprar uma empresa que já atue no setor, para quem vende, então, os benefícios são melhores que apenas colocar a placa ‘passa-se o ponto’”, afirmou Gigliotti.

É preciso compreender as reais razões da venda da empresa, mas aceitar que muitas vezes o empreendedor tem razões pessoais que exigem esse caminho e não só para tirar a batata quente das mãos. Por isso, além de verificar as finanças da empresa, o comprador deve analisar também a parte jurídica e até a opinião de alguns clientes para ter certeza de fazer um bom negócio.

A confidencialidade também é uma premissa básica para evitar problemas com clientes, funcionários, fornecedores e parceiros. Portanto, se for vender a empresa, é preciso deixar claro suas razões e demonstrar como anda a saúde da sua empresa. Dessa forma, vendedores e compradores ganham.

Fonte
Pensando Grande

Deixe seu comentário:









Digite este número...

O que você achou desta matéria?

Vote e ajude-nos a melhorar.



Os seu e-mail e o seu CPF não serão exibidos nos comentários. Eles serão guardados em nossa base para podermos atender você, cada vez melhor!

Boletins especiais