Histórico

Mais votados

Cadastre-se

Preencha os campos abaixo para receber o Boletim do Empreendedor gratuitamente:


Como atrair a melhor equipe para sua startup

Edição: 10/2012

Atrair bons profissionais é um desafio das pequenas empresas. Elas perdem, muitas vezes, nos quesitos salários e carreira. Com orçamento apertado, fica difícil conseguir os profissionais mais capacitados. Para driblar o problema, as startups estão usando o empreendedorismo a seu favor.



Uma pesquisa da Cia de Talentos em parceria com a Nextview People perguntou a mais de 45 mil jovens qual era a empresa dos sonhos para trabalhar. Mais da metade respondeu que se “abrir um negócio” fosse uma empresa, este seria o lugar ideal. O apelo ao empreendedorismo é um dos fatores que têm atraído os funcionários para os pequenos negócios.

É o caso do GetNinjas, quando contratou Roberto Klein. Ele deixou o cargo de especialista em engenharia de software na Locaweb para virar diretor de tecnologia no GetNinjas, um site de busca por prestadores de serviços.

Para Eduardo L’Hotellier, CEO da empresa, oferecer participação no negócio para funcionários importantes ajuda a fazer boas contratações. “Para atrair talentos de grandes empresas, a gente oferece parte do retorno que a empresa vai ter. É uma forma boa para os dois lados: é bom para o funcionário ter a chance de ganhar uma bolada e é bom para a empresa que, ao invés de gastar o caixa dela com salários mais altos, pode investir em mais contratações para valer mais lá na frente”, explica.

Para Aloisio Bueno Buoro, professor de estratégia e empreendedorismo do Insper, esta é uma tática que funciona bem em pequenas empresas. “Um incentivo de realização, que seria participação na empresa, em ações e no negócio, é uma forma de remuneração, atração e motivação, para que ele participe do negócio”, diz. Para o colaborador, esta é uma maneira de saber que o trabalho que ele vai realizar vai ser remunerado com participação na empresa.

Isto é tentador, em especial, para os jovens profissionais. “Se você é recém-formado e acha que poderia tentar, a hora melhor é no começo. Você pode errar, arriscar e voltar para o mercado sem tanto prejuízo. Se você é mais velho, é mais difícil, e pode ser mais avesso ao desenvolvimento de novos negócios e novas ideias”, explica Buoro.

Outro fator decisivo para montar uma equipe de primeira é mostrar uma boa ideia. “Boa ideia tem um sentido de ser uma ideia diferente do que a gente já conhece no mercado. É aproveitar um nicho de mercado, algo que ninguém aproveitou”, explica o professor do Insper.

A chance de participar de algo novo, um em novo mercado, pode atrair inclusive estrangeiros para as startups brasileiras, como aconteceu com o Kekanto.

O guia online de estabelecimentos feito a partir da colaboração dos próprios usuários é aproximado ao Yelp nas comparações. Além disso, ter recebido um investimento ajudou a trazer a alemã Petra Ehmann e a americana Stephanie Hughes para a equipe da startup. “A chancela do fundo de investimento por trás do negócio ajudou a convencê-las a vir para cá”, conta Fernando Okumura, CEO do Kekanto.

Ele conta que, além de um programa de opções de ações da empresa, ajuda oferecer aos candidatos flexibilidade de horário e um ambiente informal. “Além disso, gente escolheu estar perto da Universidade de São Paulo para atrair pessoas de lá e manter contato com os professores”, diz Okumura.

Fonte
Exame PME

Deixe seu comentário:









Digite este número...

O que você achou desta matéria?

Vote e ajude-nos a melhorar.



Os seu e-mail e o seu CPF não serão exibidos nos comentários. Eles serão guardados em nossa base para podermos atender você, cada vez melhor!

Boletins especiais