Histórico

Mais votados

Cadastre-se

Preencha os campos abaixo para receber o Boletim do Empreendedor gratuitamente:


5 segmentos oferecem oportunidades para investir em franquias

Edição: 02/2013

O modelo de franquias é atrativo para quem deseja empreender. Iniciar um negócio de marca já conhecida pelo mercado pode ser uma boa alternativa para o empreendedor que espera um retorno mais rápido do negócio. Não faltam opções de segmentos para empreender e faturar alto.



Ganhar dinheiro com o futebol, mas sem entrar em campo, cuidar da forma física ou apurar fundamentos técnicos e táticos. Já tem empresário no Brasil que vive essa realidade. Eles são, em geral, comerciantes que apostaram em um novo filão de mercado que consolida-se nos últimos anos: as franquias de lojas oficiais de clubes de futebol. Assim como elas, existem oportunidades em outros setores. Selecionamos os segmentos com mais oportunidades. Confira.

Futebol
As franquias de lojas oficiais de grandes clubes como São Paulo, Corinthians, Grêmio e Vasco já têm opções de franquias para empreendedores. Embora desponte promissor, vender para o fã de futebol é, na verdade, um negócio repleto de particularidades. Há quem invista em franquias de clubes diferentes. Os consultores, porém, indicam: na hora de escolher a bandeira da loja, melhor optar pelo clube do coração.

Também é importante prestar atenção na escolha do clube. Segundo especialistas, o resultado do time impacta a loja, que vende 20% a mais ou a menos, conforme o desempenho durante as competições.

O mercado nas capitais é grande para o segmento. Mas especialistas apontam que há oportunidades no interior, onde o torcedor tem poucas opções. Já o tíquete médio dentro de uma loja é de R$ 70 no verão e R$ 90 no inverno, de acordo com um levantamento realizado pela SPR Franquias. Mas antes de optar pela franquia de um clube, saiba sobre o tamanho e os hábitos da torcida. Alguns times fazem esse tipo de mapeamento.

Mulheres
Jae Ho Lee, do Grupo Ornatus, vê na mulher um enorme potencial de consumo. “É o melhor segmento para trabalhar”, destaca. A justificativa está no avanço feminino no mercado de trabalho. Sem tempo para cozinhar, são elas – e suas famílias – quem ajudam a movimentar o setor de alimentação fora do lar. E a necessidade de estar arrumada para trabalhar impulsiona as vendas de vestuário, acessórios, calçados e cosméticos. A rede de bijuterias Morana, por exemplo, foi a segunda marca criada pelo empreendedor. Segmentos como os citados por Lee tendem a crescer por causa do avanço feminino.

Natureza
Quem deseja aliar empreendedorismo e proteção ambiental vai encontrar no mercado de franquias opções de negócios verdes. A loja de produtos naturais Mundo Verde, por exemplo, é pioneira no segmento. Criada em 1987 em Petrópolis (RJ), aderiu ao franchising em 1993 e fechou 2011 com faturamento de R$ 205 milhões.
Para montar uma loja de rua com 60 m², Torres informa que são necessários entre R$ 200 mil e R$ 250 mil. O valor inclui taxa de franquia, projeto arquitetônico, marcenaria, produtos para compor o estoque inicial, marketing e treinamento. Além disso, é preciso ter entre R$ 30 mil e R$ 50 mil de capital de giro. “A previsão de retorno ocorre entre 24 e 36 meses e o faturamento anual de novas unidades é de R$ 110 mil, com lucratividade de 13%.”

Idiomas
Redes priorizam o ensino para crianças. Investir na segmentação pode ser uma alternativa para se diferenciar no setor de escolas de idiomas. Uma das opções é focar em aulas para crianças a partir dos 2 anos. A facilidade de aprendizado e pronúncia – a criança não tem vícios de linguagem que dificultam o ensino – é apontada como a principal vantagem para o ensino na fase inicial de desenvolvimento.

Produtos e serviços para classes C e D
Apostar em produtos e serviços para as classes C e D. Ao visualizarem um cenário nebuloso para a indústria têxtil no Brasil, os irmãos Ahmad e Mohamad Yassin resolveram investir também no varejo. A dupla criou a Vest Casa, uma rede de lojas com itens de cama, mesa, banho e decoração. Com a estratégia, eles conseguem agregar valor aos produtos produzidos na fábrica e atingem o consumidor final. A meta, agora, é encerrar o ano com 120 lojas e atingir 400 unidades em 2015, todas com foco nas classes C e D.

Fonte
Estadao PME

Deixe seu comentário:









Digite este número...

O que você achou desta matéria?

Vote e ajude-nos a melhorar.



Os seu e-mail e o seu CPF não serão exibidos nos comentários. Eles serão guardados em nossa base para podermos atender você, cada vez melhor!

Comentários (1)

-
muito bom mas o investimento e alto e tem que analizar bem para nao arrepender
-
Boa Tarde,

Celso Aurelio agradecemos o seu comentário

Tenha uma ótima tarde

Abraços e Sucesso!

Boletins especiais