Histórico

Mais votados

Cadastre-se

Preencha os campos abaixo para receber o Boletim do Empreendedor gratuitamente:


MEI formalizou mais de 2,7 milhões empresas em três anos

Edição: 06/2013

O MEI é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário. Para ser um microempreendedor individual, é necessário faturar no máximo até R$ 60 mil por ano e não ter participação em outra empresa como sócio ou titular.

Esses empreendedores informais têm acesso a benefícios como o registro no CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas) e aposentadoria e não precisam contratar um profissional contábil para garantir o funcionamento do seu negócio.



De acordo com João Maria de Oliveira, técnico de planejamento e pesquisa do Ipea, "metade dos MEIs, 49,7%, vêm do mundo formal, entre pessoas que foram demitidas e aquelas que desistiram de seus empregos em busca de oportunidades".

Oliveira destacou, ainda, que quanto menor o tempo de emprego, maior a probabilidade de o empregado migrar para o empreendedorismo individual.

O boletim Radar traçou ainda o perfil dos MEIs que pertencem ao cadastro do Programa Bolsa Família (MEIs-PBF). Eles estão concentrados, via de regra, onde está a maior parte dos beneficiários do programa: 41% desse público encontra-se na região Nordeste; 32%, no Sudeste; 10%, no Norte; 10%, no Sul; e 8% no Centro-Oeste.

A Bahia é o estado com o maior número de MEIs-PBF: 15.717. Isto parece estar ligado, segundo o texto, ao fato da Bahia ser o maior estado com participação expressiva no PBF – 43% de sua população recebe o benefício –, além de ser o maior do Nordeste em número de MEIs.

Em seguida, vêm São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Pernambuco, com 12.543, 10.330, 7.759 e 6.626, respectivamente.

"O programa é um mecanismo importante de inclusão produtiva, pois são mais de 300 mil empreendedores no país que recebem o benefício, e para cada R$ 1 investido no Bolsa Família, há o incremento de R$ 1,44 no PIB (Produto Interno Bruto) do país", destacou Rafael Moreira, analista técnico da unidade de gestão estratégica do Sebrae Nacional.

No Brasil, os beneficiários do Bolsa Família representam 7% do total de microempreendedores individuais. Nos estados do Norte e Nordeste, a porcentagem é maior: em Roraima e Alagoas, por exemplo, 16% dos MEIs recebem Bolsa Família. No Maranhão, o percentual é de 15%, enquanto na Paraíba, Ceará, Piauí e Pernambuco é de 14%.

Principais atividades
Tanto entre os MEIs-PBF quanto entre os MEIs em geral, predominam atividades de necessidade básica – roupas, alimentação, cabeleireiros e outros –, de pouco valor agregado e que exigem baixa especialização da mão de obra.

Entre as mais frequentes, a que talvez exija o maior nível de especialização seja "reparação e manutenção de computadores", que conta com 30 mil MEIs; contudo, nenhum deles é beneficiário do Bolsa Família.

Nos dois grupos, há uma predominância de comércio varejista de vestuário e cabeleireiros. Um aspecto que pode ser destacado é a maior concentração em poucas atividades, já que as dez mais frequentes respondem por 44% de todos os MEIs-PBF.

Fonte
UOL Economia

Deixe seu comentário:









Digite este número...

O que você achou desta matéria?

Vote e ajude-nos a melhorar.



Os seu e-mail e o seu CPF não serão exibidos nos comentários. Eles serão guardados em nossa base para podermos atender você, cada vez melhor!

Boletins especiais